segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

REFLEXÃO: COMO VENCER A INFESTAÇÃO DO MAL

Não sou especialista no assunto; e nunca gostei de falar sobre as forças da fumaça que vem vagando pelo mundo, a séculos.

Observando o caminho por onde tenho andado e com a experiência de quem trabalha desde jovem, procurando contribuir na construção do reino de Deus, resolvi falar um pouco do vírus que tem contaminado parte das "pessoas" na sociedade, em nosso tempo.

O mal existe, é como um vírus é real, uma infestação que vai vagando como uma fumaça pelo ar, e vai entrando nas pessoas de forma estratégica, e aos poucos vai encantando, seduzindo e dando "sensação de força, poder" ao longo do caminho a outras pessoas na sociedade e aos poucos a fumaça vai destruindo o que é bom na comunidade, no ser humano; criado a imagem e semelhança de Deus.

Essa fumaça com o vírus do encardido por onde passa, vai contaminando até mesmo aqueles que pensam estar vacinados.

Em nosso tempo, é preciso encontrar um antídoto para destruir esse vírus, e me parece que o remédio para que a nossa geração, possa ter forças para vencer o mal e caminhar na Luz: é a espiritualidade que vem da vida de oração.

Na vida de oração, jejum, caridade, alcançaremos a vitória e teremos forças para comunicar a boa noticia do evangelho de Jesus Cristo, e assim prosperará a construção do reino de Deus.

Reflexão: Tarcísio Cirino
13-02-2019

MENSAGEM PARA O DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES 2019: CRESCE A REDE MUNDIAL DE ORAÇÃO DO PAPA.

O Papa Francisco apresentou hoje 20 janeiro, durante a oração dominical do Angelus, na Praça de S. Pedro, em Roma: Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações, que este ano contém uma reflexão sobre as comunidades da rede e a comunidade humana.

 Internet e mídia social são um recurso de nosso tempo; uma oportunidade de ficar em contato com os outros, compartilhar valores e projeto e expressar o desejo de formar uma comunidade. 

A rede também pode nos ajudar a orar em comunidade, e orar juntos. 

É por isso que o Pe. Fornos está comigo; ele é o diretor internacional do Apostolado da Oração.
“Apresento-vos a plataforma oficial da Rede Mundial de Oração do Papa: Click To Pray, na qual hoje estou a abrir também o meu 'perfil'. 
Aqui irei inserir todas as minhas intenções e pedidos de oração pela missão da Igreja", afirmou o Papa Francisco, convidando em seguida, os jovens a descarregarem esta aplicação de oração.
"Convido-vos especialmente a vós, jovens, que estais familiarizados com as novas tecnologias, a descarregar esta app Click To Pray e a rezarem comigo especialmente no Panamá, na Jornada Mundial da Juventude”, disse o Papa Francisco.
Em março de 2016, sensivelmente dois anos depois de ter sido criado em Portugal, o Click To Pray foi assumido como aplicação oficial da Rede Mundial de Oração do Papa, a nível internacional, e é hoje utilizado por uma comunidade de mais de 1 milhão e 200 mil pessoas, em vários idiomas: português, espanhol, inglês, francês, italiano e alemão. A partir de hoje, a aplicação conta com um utilizador muito especial: o próprio Papa Francisco.
O impacto e as funcionalidades desta aplicação já tinham merecido a atenção do Vaticano e do próprio Papa, que pediu à Rede Mundial de Oração que mobilizasse os cristãos, através desta plataforma, para iniciativas de oração a nível mundial, como foi o caso da campanha “Pray for the Church”, realizada em outubro de 2018, em que o Santo Padre pediu para que se rezasse diariamente o terço para proteger a Igreja dos ataques do maligno.
O Click To Pray foi também assumido como aplicação oficial de oração da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza de 22 a 27 de janeiro, no Panamá, um megaevento da Igreja Católica que congrega centenas de milhares de jovens de todo o mundo e conta com a presença do Papa Francisco.
A escolha do Click To Pray como plataforma oficial de oração da JMJ é “um momento histórico e surpreendente, uma vez que a JMJ é o evento de maior dimensão da Igreja”, afirma o diretor da Rede Mundial de Oração do Papa em Portugal e coordenador internacional da plataforma Click To Pray, P. António Valério, sj. 
“Chegar aqui é um dos pontos altos da vida deste projeto, o qual não seria possível sem o trabalho de equipE de muitas pessoas da Rede Mundial de Oração do Papa, espalhadas pelo mundo, na elaboração dos conteúdos, na manutenção da plataforma nas várias línguas e, sobretudo, na realização da sua missão, que é ajudar a rezar e a comprometer-se com os desafios do mundo e a missão da Igreja, para os quais o Papa Francisco pede maior atenção”, refere o sacerdote jesuíta.
A aplicação Click To Pray foi entretanto atualizada para a JMJ e, em resposta a um pedido do Papa, disponibiliza um conteúdo específico: o Terço pela paz. Numa secção própria, encontram-se vídeos, áudios e meditações para fazer esta oração. Recorde-se que Francisco pediu aos jovens, na edição de janeiro de “O Vídeo do Papa”, que, cada um no seu idioma, rezasse o Terço pela paz.
Matéria: Tarcísio Cirino
20-01-2019

IMAGEM NOSSA SENHORA DA LUZ DOS PINHAIS EM 1720

Conta-se em síntese nas rodas de conversas,  que a gênesis do culto religioso, com a cidade de Curitiba,  nasceu assim. 

Um paulista F.Soares do Vale, fugitivo de São Paulo por desacatos ao governo, veio caminhando pelos sertões do sul até os campos de Curitiba, e mandou chamar toda a sua família, com a qual vieram outras famílias Seixas, Andrades, e assim se formou a 1° povoação, "comunidade" as margens do rio Atuba.

Imagem do ano 1720
Tempos depois convidaram o Cacique de uma tribo de índios que morava nos campos de Tindiquera, nas margens do rio Iguaçu para consultarem e designar o local; Este Cacique veio com sua gente, examinando o lugar onde os colonos pretendiam fazer o assento de sua povoação e trazendo na mão uma grande vara a fincou no chão, e virando para os colonos o Cacique Tindiquera disse: "aqui", é nesse lugar que vocês formaram uma capelinha para o culto religioso. Lugar onde mais tarde se construiu a primeira Igreja Matriz de Nossa Senhora da Luz.

A imagem de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, foi mandada de Portugal a Curitiba e posta solenemente no altar em 16 novembro 1720.

No dia 15 do mês de novembro, foi convidado todos os moradores da vila e arredores nos subúrbios para participarem da procissão com a imagem de Nossa Senhora da Luz e assistir a celebração com a colocação da imagem no altar.

A criação de Paróquia remonta a 1868, sendo porém certo que em 1747 no 1° livro Tombo, do vigário Manoel Domingos Leitão, pode se vê que Curitiba já era Paróquia.

Curitiba foi elevada a cidade a 5 de fevereiro de 1842 e a Capital do estado do Paraná, em 26 Julho 1854.
A antiga igreja Matriz era construída de pedra de barro espaçosa e de forma elegante. 

Por ocasião  do levantamento das torres, estas de algum modo abatendo, quando já estavam a meia altura produziram algumas fendas no frontispício o que culminou após frustados os esforços empregados no edifício, o início da demolição.


Imagem da nova construção ( Catedral ) 
Instado por telegrama do Exmo. Presidente Doutor Adolpho Lamenha Lins, ficou assim registrado por Dom Lino nas folhas 4v do livro Tombo da Paróquia Nossa Senhora da Luz, por ocasião de sua visita Pastoral, para autorizar a transferência Paroquiais e a transladação do Santíssimo Sacramento e imagens da Matriz para a Capela do Rosário, em razão do estado crítico do edifício que naquele momento estava com o iminente perigo de desabamento e a necessidade urgente de sua reconstrução. 

Concedemos por despacho telegráfico a autorização pedida, e no domingo á tarde 19 dezembro de 1875, vigésimo segundo aniversário da instalação da Província, efetuou-se com toda solenidade o ato da transladação.

Três dias após a transladação, iniciou-se os trabalhos de demolição que terminaram em 1880.

Os altares com as imagens foram colocados na igreja do Rosário, e parte do vigamento foi utilizado na igreja da Ordem.

A Catedral atual, com o lançamento e benção da primeira pedra, teve lugar no dia 13 de fevereiro de 1876 ás 16horas através do Revmo. Vigário Pe. Agostinho Machado de Lima e assistência de todas autoridades e grande parte do povo.

Foram 17 anos o tempo que levou o trabalho da construção da nova  Igreja Paróquia de Nossa Senhora da Luz que foi inaugurada no dia 7 Setembro 1893, através do Revmo. Vigário Pe. Alberto José Gonçalves.  

Nos dias atuais, no coração da capital paranaense, Brasil, foto a baixo da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, arquidiocese de Curitiba. 350 anos depois da construção da 1° Igreja Matriz.

Matéria: Tarcísio Cirino
12-01-2019

50 ANOS: 1° CONGRESSO NO BRASIL DAS CAPELINHAS

Para o bom êxito da missão nos próximos anos, penso que é preciso valorizar e conhecer a caminhada de nossos irmãos de fé no passado, para que possamos planejar o presente com Luz no caminho para o futuro.

Dentro deste contexto estamos publicando a (1° parte) da história do Movimento de Capelinhas, que é parte da grande história de evangelização da Igreja na arquidiocese de Curitiba. 

Hoje através de documentos, que nos foi confiado através de nossos irmãos na Fé, sabemos que o 1° Congresso do Movimento de Capelinhas no Mundo, aconteceu no Brasil, arquidiocese de Curitiba em maio do ano 1969, por urgência com a necessidade Pastoral na evangelização a pedido do arcebispo Dom Manuel da Silveira D´Elboux.
Foto da diretoria atual 50 anos depois


Nos dias atuais até mesmo entre os sacerdotes, bispos, muitos ainda não conhece com profundidade o Movimento de Capelinhas, que iniciou a expansão a partir do ano 1937, na Paróquia Imaculado Coração de Maria no bairro Água Verde - Curitiba.

Dito isso a partir de agora vamos transcrever documentos a partir de 1969, que ajuda você  compreender a urgência e preocupação Pastoral na época do arcebispo da arquidiocese de Curitiba, Dom Manuel no processo de evangelização que foi confiado ao Apostolado das Capelinhas. 

Transcrição na íntegra: Convocação para o 1° Congresso do Apostolado das Capelinhas.

MENSAGEM DO SR. ARCEBISPO

O apostolado da Visita Domiciliar das Capelinhas de Nossa Senhora tomou tal incremento na Arquidiocese que foi possível pensar-se na organização de um verdadeiro Congresso Mariano.

Isto, 9 anos depois do VII° Congresso Eucarístico Nacional.
Como naquela ocasião, também agora virá de Paranaguá a milagrosa imagem de Nossa Senhora do Rocio para presidir aos trabalhos do primeiro Congresso Arquidiocesano das Capelinhas.

A visita da venerada imagem a Curitiba, por ai só, constituirá um esplêndido triunfo. Tudo faz crer, portanto, no Êxito do Congresso e temos certeza de que as famílias irão sentir todo o calor materno desta visita oportuna e providencial.

Mais do que nunca, precisam as Famílias deste carinhoso aconchego da virgem. O impacto com o mundo moderno faz com que os lares corram graves perigos e necessitam de um afervoramento espiritual.

Ninguém melhor do que Maria para recristianizar a sociedade e implantar na terra o reinado de Jesus Cristo. Ad Jesus per Mariam.

Falta, em geral, à Família uma autêntica vivência cristã, e a oração em comum é o grande caminho para a vida da graça. A visita das Capelinhas faz a família rezar; e a família que reza é a célula viva da igreja.

Parabéns, portanto, aos promotores do primeiro Congresso das Capelinhas; e que Nossa Senhora realize na Arquidiocese as maravilhas do seu poder e da sua valiosa intercessão.

                         Arcebispo: Dom Manuel da Silveira D´Elboux.

Programação: 1° Congresso do Apostolado das Capelinhas. 
                          SALVAR A FAMÍLIA 
              * Por Maria, com Maria e em Maria*
                                   
Eis o brado que, nesta hora sombria de apreensões e incerteza, irrompe os corações que amam em verdade a Deus e à Pátria.

Salvar a Família: É ela a Célula Mater da sociedade; a pedra angular do edifício social.  

Salvemos a família. Restauremos o lar cristão. Recristianizemos e santifiquemos o templo sagrado da sociedade doméstica.

Salve a família e tudo estará salvo para Deus e para a Pátria.
O prestigio moral e religioso de um povo estará sempre na razão direta do valor moral e religioso da família.

E como salvar a família?
POR MARIA, COM MARIA E EM MARIA.

Dia 29 maio: Abertura do 1° Congresso do Apostolado das Capelinhas, com a chegada da Imagem de Nossa Senhora do Rocio, na Igreja de Nossa Senhora do Rocio na rua Chile.

2Ohrs: Chegada da imagem de Nossa Senhora do Rocio á Catedral, transportada pelos paroquianos, com a saudação do bispo: dom José Joaquim Gonsalveis.

Dia 30 maio: 1° DIA DO CONGRESSO
Local: Catedral
Conferência: Dom Pedro Fedalto

Dia 31 maio: 2° DIA DO CONGRESSO
Local: Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe.
Conferência : Mons. Ivo Zanlorenzi

1° Junho: ENCERRAMENTO DO CONGRESSO
Local: Catedral, com chegada ás 15hrs da imagem de Nossa Senhora do Rocio, transportada pelos paroquianos até a Igreja Sagrado Coração de Maria e Paróquia Bom Jesus, trazendo em procissão para a Catedral para a Missa de encerramento do Congresso, com o arcebispo Dom Manuel da Silveira D`Elboux.

Obs: as informações que vamos transcrever agora é o que pensava a primeira diretoria do Movimento de Capelinhas da arquidiocese de Curitiba, após o 1° Congresso do Apostolado das Capelinhas que tinha como Presidente Edy Caprilhone(29/02/1968 a 04/04/1973) e precisamos entender que dentro da proposta de trabalho e formação no contexto da época a diretoria e zeladoras era formado por famílias, que tinha como objetivo promover as vocações sacerdotal, religiosa, laicato, e me parece que estavam em um estágio elevado se comparado aos dias atuais, hoje.

Transcrição de parte do texto do livro Ata, para conhecimento histórico do conteúdo de formação das coordenações da diretoria e Zeladoras(Mensageiras:os) das Capelinhas, a 50 anos atrás. 
                       Zeladora 
           (atualizando: Mensageiros)

Os sacerdotes e religiosos no Brasil, constituem apenas 0,06% do número de católicos brasileiros.

De que maneira este número tão reduzido conseguirá realizar o ideal de Cristo? A evangelização e santificação da sociedade sem a colaboração dos Leigos? Estes no Brasil são 99.94% da população.

Todos devem compreender que aos leigos católicos cabe uma grande tarefa evangelizadora e imensa responsabilidade no êxito ou fracasso da evangelização no Brasil e no mundo.

A igreja não é um sinal perfeito de Cristo entre os homens, se ai não existem leigos que trabalhem com a igreja.

Quando fomos batizados, nós nos integramos a Cristo Apóstolo, e devemos continuar a sua obra no mundo, por isso temos uma missão a cumprir na terra: Transmitir Cristo, propagar o evangelho e consagrar o mundo a Deus.

Recebemos esta missão no batismo, confirmamos no Crisma, logo devemos no meio em que vivemos desenvolver nas estruturas sociais com a pessoa a vida e as leis do nosso Mestre e Senhor esta missão que denomina: Apostolado das Capelinhas.

A igreja de hoje não está mais no mundo clericalizado como antigamente, quando tudo desenrolava em torno de um centro com suas leis e estruturas. ( a caligrafia do texto na sequência é difícil a compreensão)

Regulamento do Apostolado das Capelinhas no ano 1969.
    ( Para conhecimento histórico )

1- Procurar fazer amizade com todas as famílias sob sua responsabilidade.

2- Deve agir sempre em sintonia com os sacerdotes da Paróquia.

3- Prepara um esquema ou mapinha da própria quadra, com o nome dos respectivos moradores.

4- Distribui os folhetos e circulares do vigário, e da comissão Arquidiocesana das Capelinhas.

5- Comunica as Famílias das atividades paroquiais: solenidades, novenas, cursos.

6- Ao nascer uma criança, apresenta aos Pais as felicitações, e em nome do vigário e uma carta do mesmo, contendo orientação para o batizado.

7- Em caso de morte apresenta carta de pêsames do vigário, cristianiza o velório, rezando o terço e confortando com palavras cristãs a família enlutada.

8- Procura saber a data de aniversário de casamento, ocasião em que felicitará o casal.

9- Verificar os doentes, e visita-os em nome do vigário; acompanhá-os durante a doença, mesmo quando hospitalizado fora da Paróquia.

10- Se a doença for grave, prepara a visita do sacerdote.

11- A chegada de algum novo morador, dá-lhe as boas vindas em nome da Paróquia. Oferece-se a visita do sacerdote para benzer a casa e combina na hora em que a família toda esteja reunida.

12- Comunica ao novo morador o horário das Missas dominicais e a maneira de assistir a Missa na Paróquia. Perguntar se os novos membros participava em outras Paróquias e procura um jeito que aqui continuem participando.

13- Havendo necessitados em sua quadra, comunica-se com o centro social da Paróquia, caso houver já instalado.

14- Indicar casais de católicos praticantes, que possa auxiliar como responsáveis e fazer parte das equipes de casais do Apostolado de Nossa Senhora.

15- Colabora com os trabalhos de outras associações da Paróquia.


Obs: Verificando o conteúdo de evangelização das novenas de Natal da época, cheguei a conclusão que precisamos voltar aos anos 70.

No dia 06 fevereiro de 1970, faleceu o bom arcebispo: Dom Manuel da Silveira D´Elboux, que promoveu o nascimento da diretoria do Apostolado das capelinhas em 1968 e 1969 o 1° Congresso do Apostolado das Capelinhas, hoje conhecido como Movimento de Capelinhas.


Matéria: Tarcísio Cirino 
31-12-2018

SETOR COLOMBO ACOLHEU IMIGRANTES VENEZUELANOS.

Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; (MT 25:35).
Imagens: Rosi Aparecida Ferrarini
Trazendo no rosto a imagem do cansaço, nos ombros a fadiga de horas de viagem sem dormir e até sem tomar banho; mas no olhar um fio de esperança, chegaram nossos irmãos venezuelanos.
Fugindo de uma crise sem precedentes onde a fome, o desemprego e a miséria assolam o povo da Venezuela, eles pediram abrigo ao povo brasileiro que reconheceu no Evangelho de Jesus Cristo o pedido de socorro e os acolheu.


O Setor Colombo, que compreende sete Paróquias da Arquidiocese de Curitiba, acolheu pelo menos 72 pessoas entre adultos e crianças.

Com a mediação da Cáritas PR e o árduo trabalho das comunidades paróquias, e demais autoridades municipais, foi possível alugar casas e apartamentos que servirão de abrigos temporários aos imigrantes.

Em Colombo os grupos ficaram assim divididos:
Paróquia Nossa Senhora do Rosário, sede de Colombo, 14 pessoas
Santa Teresinha de Lisieux 12;
Senhor Bom Jesus 06;
Santa Cândida 12;
Nossa Senhora da Saúde, 14;
Sagrada Família 24
E a Paróquia Imaculada Conceição do Atuba, não acolheu nenhum imigrante sob a alegação de que não houve tempo hábil para organizar a acolhida.

O mais interessante nesse processo, foi a metodologia adotada pelos organizadores que procuraram manter os vínculos familiares, ou por afinidades.

O impressionante foi a capacidade das comunidades em um curto espaço de tempo conseguirem doações que foram desde toalhas, sabonetes,colchões, fogões, TVs e todo o “enxoval” para atender as necessidades básicas de cada família ou de cada grupo afim.

Um papel importante teve o Exército Brasileiro que organizou a logística do transporte aéreo até a Capital paranaense e a distribuição em cada núcleo onde ficarão alojados os imigrantes que chegaram devidamente documentados e aptos a exercerem atividades profissionais legalmente.

Claro que uma das dificuldades será a comunicação uma vez que lá se fala a língua castelhana, ou seja o Espanhol, mas já existem voluntários que se propuseram a dar aulas de português para os nossos estrangeiros.

Agora cabe às comunidades e a toda a população, auxiliá-los na tarefa de apontar saídas para as dificuldades como ajudá-los a encontrarem um emprego para que em breve cada um assuma de forma independente sua trajetória.

O fato é que é compensador ter a oportunidade de servir, pois como diz o velho jargão: “Quem não vive para servir, não serve para viver”.

Matéria: Diácono Osmar Vieira
21-12-2018

O MISTÉRIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO E A INFALIBILIDADE DO PAPA.

Com as palavras "Maria concebida sem pecado" confessamos, que Maria, por uma exceção especial, em virtude dos futuros merecimentos de Cristo, desde o primeiro instante da sua vida ficou isenta do pecado original e revestida foi da graça santificante.

Não é assim com as outras criaturas humanas, pois desde o principio de nossa existência carecemos da graça santificante, sendo que esta falta estatui um verdadeiro pecado, não pessoal, é claro, mas um pecado original por ser uma consequência do pecado dos primeiros pais.

O mistério da Imaculada Conceição, exclui o pecado, isto é, o pecado original e consequentemente duas cousas, inseparavelmente ligadas a êste: a desordenada concupiscência e o pecado pessoal; inclui, porém, a posse da graça santificante.

A presença desta significa a ausência, a extinção daquele.

Maria desde o principio era possuidora da graça santificante, e junto com esta de todos os bens que a acompanharam, isto num grau não comum, mas numa abundância tal, que Santo nenhum até o fim da vida chegou a possuí-la.

Inerente a este dom da graça santificante se achava outro privilégio, o da perseverança final. Também Eva possuía inicialmente a graça santificante; perdeu-a, porém, pela transgressão do mandamento de Deus. Não assim Maria.

Na sua vida não houve um momento sequer, em que se visse privada da graça de Deus; pelo contrário: esta lhe crescia de uma maneira tão exuberante, que não podemos dela formar idéia.

A alma, ou o Coração de Maria no mistério da Imaculada Conceição, não é comparavél a um recipiente, puro sim, e sem mácula, destituído entretanto de qualquer adôrno; antes se assemelha com um vaso riquíssimo transbordando de todas as espécies de tesouros e preciosidades da ordem sobrenatural; obra prima, maravilhosa da terra e do céu, da natureza e da graça, honra da casa de Deus e a complacência do divino artífice seu criador.

Não como nós pobres filhos de Eva, desfigurados pelo pecado, semelhantes a tristes espinheiros, crestados pelo sol, Maria pelo contrário se ostenta bela, luminosa, envolta em claridade celestial, qual lírio puríssimo, encanto dos anjos e dos Santos no céu. "Como a açucena entre os espinhos, assim é a minha amiga entre as donzelas" ( Cant. 2-2).

O mistério da Imaculada Conceição é de suma importância, sem restrição alguma, belo e glorioso.

E uma glória para Deus, para a SS. Trindade. O Pai é a majestade, a suma do poder, a autoridade sem par, criadora, vivificadora, legisladora e governadora.

Este poder, porém. consiste não só em dar leis e aplicar castigos, como também em isentar da lei e agraciar, quando e da maneira que lhe apraz.

Cometido o primeiro pecado no Paraíso, para todos os filhos de Adão foi criada a lei da morte espiritual, da privação da graça santificante para o primeiro momento da vida, lei da qual isenta só ficou Maria, em atenção a sua missão excepcional e única, à sua futura vida, a nossa vida, pela maternidade divina. 

O Filho é a Sabedoria e a Redenção, e o sangue de Cristo é o remédio contra a morte do pecado, e em Maria, produziu um efeito extraordinário.

Em todos os homens tira o pecado, extingue-o, e restabelece o estado da graça. Em Maria, porém, teve este efeito desde o principio.

A Imaculada Conceição é portanto, o fruto mais nobre e grandioso da morte do Salvador, como prova do grande amor de Jesus a sua Mãe.

O Espírito Santo é a bondade, o amor e a generosidade de Deus em distribuir bens naturais e sobrenaturais. Na Imaculada Conceição este Divino Espirito manifesta uma bondade inesgotável, não só em ter adornado Maria de bens naturais extraordinários, como também, e principalmente em tê-la enriquecido de dons e graças divinas.

Pelo curso normal o Espírito Santo dá a graça santificante depois do nascimento, no sacramento do batismo.

Muito poucos são os que foram santificados, quando ainda no seio da mãe, assim S. João Batista e talvez São José; mas só Maria desde o primeiro momento da sua vida gozou desde privilégio.

Todos os demais, o Espírito Santo, santifica num determinado grau; Maria, porém, foi agraciada de uma maneira tão abundante, que da plenitude das graças, a ela dispensada, não se pode fazer idéia.

Desta forma o mistério da Imaculada Conceição, constitui uma glorificação da SS. Trindade. Não menos glorioso e de suma importância êle é também para Maria.

A Imaculada Conceição é o fundamento da grandeza e magnificência desta, em três sentidos.

Primeiro; é o fundamento da sua santidade e das virtudes.

A santidade consiste antes de tudo na isenção de todo o pecado, na posse da graça santificante e das virtudes e dons concomitantes, preservada que foi do pecado original; Maria ficou livre também do pecado pessoal.

Em sua Conceição recebeu uma harmonia tal de todas as energias físicas e morais, um temperamento tão proporcionado, a graça da perseverança, com a garantia de graças tão particularmente eficientes , que em toda a sua vida nunca houve manifestação de concupiscência desordenada; por isto pecado venial, nenhum, por mais leve que fosse, cometeu.

E esta a doutrina de Santo Agostinho e do Concílio de Trento.

O tesouro da santidade da Mãe de Deus, sempre aumentando, cresceu a graus incalculáveis, uma vez vez pelo afluxo de graças extraordinárias, como também pela sua fidelíssima cooperação e as circunstâncias especiais da sua vida. Toda esta riqueza incomensurável tem sua razão, seu fundamento na Imaculada Conceição.

Em segundo lugar é este mistério a condição preliminar e preparação adequada para a excelsa dignidade que Maria possuía, de Mãe de Deus e rainha do céu e da terra.

Como o Salvador em sua tenra infância poderia unir-se tão estreitamente, e tão intimamente descansar junto a um coração, que por um momento aliás, tivesse sido moradia e domínio de Satanás?

Como poderia ela, sua rainha se apresentar aos coros dos Anjos, que nunca perderam a graça santificante, se pelo pecado tivesse sido escrava do demônio?

Na Imaculada Conceição o poder de Maria SS. tem seu fundamento, pureza, inocência e santidade, são valores por Deus muito apreciados, valores que é atribuído certo poder imperativo junto à divina majestade.

Com quanto mais razão deve-se isto afirmar de pureza de Maria, que, nem por sombra de pecado sequer empanada, realmente é o reflexo da luz eterna, o espelho sem mácula, a imagem da divina bondade! ( Sal. 7,26 ).

Numerosas grandes e admiráveis  são as prerrogativas dêste ser abençoado: o nascimento virginal do Salvador, a integridade perfeita e a incorruptibilidade do corpo, a ressurreição e ascensão antes do dia do juízo e da consumação dos séculos.

De todas estas exceções é a da Imaculada Conceição por Maria a mais apreciada. As demais prerrogativas necessárias, eram concedidas sob certas suposições, e sempre condicionalmente; mas o privilégio de por nenhum momento se achar sujeito ao pecado, êste sob todo os pontos de vista era necessário, indispensável. 

Ainda mais diante: diante da hipótese de poder escolher qualquer distinção, a todas ela poderia renunciar, menos a da Imaculada Conceição.

Por isso na Missa do dia da Imaculada Conceição, põe nos lábios de Maria as seguintes palavras: "Regozijar-me ei no Senhor, e minha alma exultará de alegria em meu Deus; porque me revestiu com vestimenta de salvação, e me cobriu com o manto da santidade, como uma esposa com suas galas", ( Is. 61,10 ).

"Louvar-vos eis, Senhor, porque me livrastes e não deixastes que meu inimigo zombastes de mim". ( S. 29, 3 ).

O mistério da Imaculada Conceição é de suma importância para nós, para a igreja, para o mundo inteiro.

Sua solene proclamação como dogma em 1854 foi um progresso, um novo elo na evolução da nossa Fé.

Não é este dogma não é uma invenção da Igreja; Antiquíssimo, fazia parte das verdades reveladas, está incluído no depósito da Fé.

Até aquele ano o católico tinha liberdade de crer ou não crer na Imaculada Conceição, podia rejeitar esta doutrina, sem incorrer numa heresia.

Houve de fato doutores da Igreja e santos que não a aceitaram.

Hoje os cristãos católicos no mundo inteiro esta convencido da verdade do mistério: a crianças que sabe seu catecismo, pensa sobre esta doutrina com mais acerto do que aqueles grandes teólogos e espíritos de escol e iluminados.

O mistério e sua elevação a dogma é a confirmação de uma nova declaração da lei moral sobrenatural, que somos destinados à uma vida sobrenatural: que a graça é nos indispensável para alcançar este fim; que a perda culposa e a falta da graça é a essência do pecado, e todos, com exceção de Maria, como filhos de Adão, estamos sujeitos ao pecado.

Tudo isto o dogma Imaculada Conceição, diz e ensina no mundo materializado e impio, portanto sua proclamação é um solene protesto contra o racionalismo e materialismo, é a condenação destas ideologias, que não querem saber da verdade e ordem sobrenaturais; que rejeitam a doutrina sobre o pecado, a redenção e tudo que eleva acima da vida material e da observação sensitiva.

Ao mesmo tempo, apresentando Maria, como ente perfeitíssimo na ordem da graça, é para nós animação poderosa a nos aproximar desta ordem, e a nossa vida ordenar segundos seus princípios.

Finalmente descobrimos no mistério da Imaculada Conceição um penhor de graça e da benção divina para o mundo nosso contemporâneo, onde seus pecados são muitos e graves, basta apontar os seguintes: Impiedade, dissolução de costumes, revolta contra Deus e a autoridade legitimamente estabelecida, perseguição da Igreja.

Um grande merecimento entretanto não pode ser negado; o de ter aceito o dogma da Imaculada Conceição, e com esta homenagem ter adornado a cabeça de Nossa Senhora com uma coroa de incomparável e indestrutível valor.

A pobre humanidade pode, portanto, esperar por uma resposta amável e misericordiosa daquela que é sua Mãe.

Uma grande graça o mundo já experimentou, que pode ser considerada favor do céu e efeito da intercessão da Santíssima Virgem.

As circunstâncias em que se realizou a proclamação dogmática da Imaculada Conceição, já eram um prelúdio da dogmatização da infalibilidade do Papa, quando Pio IX, a 8 dezembro de 1854, na Basílica de São Pedro, proclamava a bula da Imaculada Conceição, e alguns bispos presentes exclamaram: "É isto a infalibilidade do próprio Papa".

Tinha eles razão, porque o Papa, sem ter assistência de um Concílio, por sua própria autoridade fez esta proclamação.

Poucos anos depois o Concílio Vaticano elevou o dogma a infalibilidade pessoal do Papa, e desta maneira Maria Santíssima retribuiu honra com a honra, e deu a Igreja o remédio mais necessário para curar os males dos dias atuais.

Assim o mistério da Imaculada Conceição projeta raios de luz em todas as direções: raios de glorificação a Deus, sobre a SS. Trindade, cuja a essência e bondade tão admiravelmente revela; raios de louvor e honra sobre Maria, cujas prerrogativas e santidade tão prestigiosamente desvenda; raios de bençãos de graças e de consolações para o mundo, tão necessitado de uma Mãe Imaculada e poderosa protetora.

Terminando esta reflexão, três resoluções se nos impõe: Primeiro de dar graças à SS. Trindade, por tudo que de grandioso e de bom no mistério da Imaculada Conceição, operou para sua maior glória , em beneficio de Maria e para nosso proveito.

Regozijemo-nos. "O grande sinal, a mulher vestida de Sol, tendo a lua aos pés e a coroa de estrelas cingindo a sua cabeça", apareceu.

O dragão fugiu, voltando às trevas e ao desespero.

Graças demos a Deus, e a Maria, apresentemos as nossas felicitações. "Realmente toda pulchra es Maria, et macula originalis non es in te"; Toda sois formosa sem a mancha do pecado original.

Segundo: de a Deus, por Maria pedir, a Igreja, ao mundo inteiro e a nós todos advenham as bençãos que por este mistério Deus intencionava espargir.

Muitos benefícios já recebemos; outros tantos esperamos que nos sejam feitos por intermédio da Virgem Imaculada.

Terceiro: encher-nos de ódio e repugnância ao pecado e de veneração a graça santificante.

A Imaculada Conceição é o mistério da paz e do perdão; o pecado original é o menor entre os pecados graves de que podemos ser inculpados, mas nem este o Salvador tolera; quanto mais intimamente ele se liga a uma criatura humana, tanto mais longe dela deve o pecado ficar. 

Por isto, e completamente do pecado isentou sua Mãe, e deve ser para nós forte incitativo de fugirmos do pecado, de dar todo o valor a graça, e  conservar: nossa honra, nossa riqueza, nossa formosura e nossa felicidade, consistem unicamente na graça santificante.

No mistério da Imaculada Conceição, encontramos o auxilio para adquirir esta graça e a conservar.

É para nós o penhor da esperança, da consolação, do conforto e da vitória, como tem sido para a humanidade desde o principio da sua existência.

A Virgem Imaculada recorramos, quando a tentação de nós se aproxima, e neste sinal terrível que é para o inferno, teremos a vitória final e a salvação.