segunda-feira, 17 de setembro de 2018

SANTUÁRIO DO ROCIO FOI ABALADO!!

Os espaços e praças do Santuário Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá, se tornou pequeno neste último domingo 16 setembro, onde uma multidão de mensageiras(os) de capelinhas, e apostolado da oração,  em peregrinação de Curitiba, até o Santuário, foram chegando e participando da procissão com o manto de Nossa Senhora, em agradecimento as graças recebidas através da intercessão da Mãe.

Em seguida após a procissão, ás 11:30horas participaram da Santa Missa, presidida pelo arcebispo da arquidiocese de Curitiba,  Dom José Antônio Peruzzo, no Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio, no Paraná.


Após a Santa Missa, conversando com as pessoas que trabalha nas barracas do lado do Santuário, elas nos dizia e afirmava que nunca-se viu nada igual ou semelhante, fora das festas tradicionais da Padroeira do Paraná.

A matéria em vídeo, com imagens marcantes, estaremos publicando em breve aqui!!

Matéria: Tarcísio Cirino

sábado, 15 de setembro de 2018

O SOFRIMENTO DE FRANCISCO EM TERRITÓRIO MAFIOSO.



Papa: não se pode acreditar em Deus e ser mafioso


O Papa retornou à Sicília nos 25 anos da morte do padre Pino Puglisi, assassinado pela máfia em 1993. Em sua homilia, o Papa fez uma dura advertência aos mafiosos: caso não se converterem ao Deus verdadeiro de Jesus Cristo, "sua vida será perdida e será a pior das derrotas”.
Jackson Erpen – Cidade do Vaticano
“Não se pode acreditar em Deus e ser mafiosos. Quem é mafioso não vive como cristão, porque blasfema com a vida contra o nome de Deus-amor”, e hoje “temos necessidade de homens e de mulheres de amor, não de homens e de mulheres de honra”.
Na homilia da Missa celebrada no final da manhã deste sábado no Foro Itálico, em Palermo, o Papa exortou os mafiosos a deixarem de pensar em si mesmos e em seu dinheiro e a converterem-se ao verdadeiro Deus de Jesus Cristo, advertindo que caso contrário, a vida deles "será perdida e será a pior das derrotas”.
Francisco  voltou à Sicília por ocasião do 25º aniversário de morte do padre Pino Puglisi, assassinado pela máfia em 15 de setembro de 1993, “coroando a sua vitória com o sorriso, com aquele sorriso que não deixou dormir de noite seu assassino que disse: «havia uma espécie de luz naquele sorriso»”.

Vitória e derrota

 

A sua homilia contrapôs o amor e o egoísmo, contrapôs a vida do padre Puglisi com o estilo mafioso de ser e agir. “Hoje Deus nos fala da vitória e da derrota”, disse o Papa referindo-se ao Evangelho de São João, “e somos chamados a escolher de que parte estamos: viver para si  - com a mão fechada - ou doar a vida - a mão aberta. Somente doando a vida se derrota o mal. Um preço alto, mas somente assim”.
“ Somente doando a vida se derrota o mal. Um preço alto, mas somente assim ”
“Quem vive para si, quem multiplica os seus ganhos, quem tem sucesso, quem satisfaz plenamente as suas necessidades, parece vencedor aos olhos do mundo. A publicidade martela esta ideia”, diz Francisco.
Mas para Deus, “quem vive para si não perde somente alguma coisa, mas toda a vida, enquanto quem se doa encontra o sentido da vida e vence”. Portanto, há uma escolha a ser feita: “amor ou egoísmo”:
O egoísta pensa em cuidar da própria vida e se apega às coisas, ao dinheiro, ao poder, ao prazer. Então o diabo tem as portas abertas.  O diabo entra pelos bolsos - eh! - se você é apegado ao dinheiro, isto é, ao diabo. O diabo faz acreditar que tudo está bem, mas na verdade o coração se anestesia com o egoísmo. O egoísmo é uma anestesia muito poderosa.  Este caminho sempre acaba mal: no final se fica sozinho, com um vazio por dentro. O fim dos egoístas é triste: vazios, sozinhos, circundados somente por aqueles que querer herdar”.
“ Quem vive para si não perde somente alguma coisa, mas toda a vida, enquanto quem se doa encontra o sentido da vida e vence ”
Mas para muitos – observa Francisco – essa conversa poderia parecer fora da realidade, pois para seguir em frente “serve dinheiro e poder”. Mas isto, advertiu, “é uma grande ilusão:
Dinheiro e poder não libertam o homem, fazem dele um escravo. Vejam: Deus não exerce poder para resolver nossos males e os males do mundo. Seu caminho é sempre o do amor humilde: somente o amor liberta internamente, dá paz e alegria. Por isso que o verdadeiro poder, o poder segundo Deus, é serviço. Jesus o diz.  E a voz mais forte não é a aquela de quem grita mais. A voz mais forte é a oração. E o maior sucesso não é a própria fama, como o pavão, não! A glória maior é, o sucesso maior é, o próprio testemunho”.

Lógica "perdedora"

 

Era isso o que padre Pino ensinava – recordou o Pontífice: “não vivia para se mostrar, não vivia de apelos antimáfia, e tampouco se contentava em não fazer nada, mas semeava o bem”. Sua lógica, “parecia uma lógica perdedora”, enquanto a lógica da carteira parecia vencedora”, mas “a lógica do deus-dinheiro é sempre perdedora”.
“ A lógica do deus-dinheiro é sempre perdedora ”
Ao ser morto há 25 anos, o sacerdote coroou a sua vida com um sorriso. Era inofensivo e seu sorriso transmitia a força de Deus, uma luz gentil que é a luz do amor, do dom, do serviço:
“Temos necessidade de cristãos sorridentes, não porque levem pouco a sério as coisas, mas porque são ricos somente da alegria de Deus, porque acreditam no amor e vivem para servir”.
Padre Pino sabia que arriscava, “mas sabia sobretudo que o perigo verdadeiro na vida é não arriscar, é ir levando a vida entre comodidades, futilidades e atalhos”. Que Deus nos liberte disso:
Deus nos liberte de vivermos no lado negativo, nos contentando com meias-verdades. As meias-verdades não saciam o coração, não fazem bem. Deus nos liberte de uma vida pequena, que gira em torno das "mesquinharias". Liberte-nos de pensar que tudo está bem se estiver tudo bem comigo, o outro que se arranje. Liberte-nos de acreditarmos que somos justos se não fizermos nada para combater a injustiça. Quem não faz nada para combater a injustiça não é um homem ou uma mulher justo.  Liberte-nos de acreditarmos que somos bons, somente porque não fazemos nada de mal (...). Senhor, dá-nos o desejo de fazer o bem; buscar a verdade detestando a falsidade; de escolher o sacrifício, não a preguiça; o amor, não o ódio; o perdão, não a vingança”.

Quem é mafioso não vive como cristão

 

Quem diz amar a Deus, mas odeia o seu irmão é um mentiroso - recordou o Papa referindo-se à primeira leitura -, pois “Deus-amor repudia toda a violência e ama todos os homens. Por isso, a palavra ódio deve ser apagada da vida cristã”. Então, dirigindo-se aos mafiosos disse:
“ A palavra ódio deve ser apagada da vida cristã ”
Não se pode acreditar em Deus e ser mafiosos. Quem é mafioso não vive como cristão, porque blasfema com sua vida o nome de Deus-amor. Hoje temos necessidade de homens e de mulheres de amor, não de homens e mulheres de honra; de serviço, não de subjugação; temos necessidade de homens e mulheres, de caminhar juntos, não de perseguir o poder. Se a ladainha mafiosa é: "Você não sabe quem eu sou", a cristã é: "Eu preciso de você". Se a ameaça mafiosa é: "Você vai pagar para mim", a oração cristã é: "Senhor, ajuda-me a amar". Por isso aos mafiosos eu digo: mudem irmãos e irmãs! Parem de pensar em si mesmos e em seu dinheiro. Você sabe, vocês sabem, que o Sudário não tem bolsos. Vocês não podem levar nada com vocês.  Convertam-se ao verdadeiro Deus de Jesus Cristo, queridos irmãos e irmãs! Eu digo a vocês, mafiosos: se não fizerem isto a vida de vocês será perdida e será a pior das derrotas”.

O que eu posso fazer?

 

Nós não podemos seguir Jesus somente com ideias, mas precisamos colocar mãos-à-obra. Seguindo o exemplo de padre Pino que dizia: “Se alguém faz alguma coisa, se pode fazer muito”, o Papa pergunta o que eu posso fazer, pelos outros? Pela Igreja?”:
Não espere que a Igreja faça algo por você, comece você. Não espere que a sociedade o faça, comece você! Não pense em si mesmo, não fuja da sua responsabilidade, escolha o amor! Sinta a vida das pessoas que têm necessidade, escuta o teu povo. Tenham medo, tenham medo, da surdez de não escutar o seu povo.  Este é o único populismo possível: escutar o seu povo, o único "populismo cristão": ouvir e servir o povo, sem gritar, acusar e provocar contendas”.
“ Este é o único populismo possível, o único "populismo cristão": ouvir e servir o povo, sem gritar, acusar e provocar contendas ”
Padre Pino – continuou o Papa - vivia a pobreza, a cadeira no quarto onde estudava estava quebrada, “mas a cadeira não era o centro de sua vida, porque não vivia sentado repousando, mas vivia em caminho para amar. Eis a mentalidade vencedora, eis a vitória da fé, que nasce da doação cotidiana de si. Eis a vitória da fé que leva o sorriso de Deus pelas estradas do mundo. Eis a vitória da fé que nasce do escândalo do martírio”.
“Dar a vida”, disse o Papa ao concluir, “foi o segredo da sua vitória, o segredo de uma vida bela. Hoje, queridos irmãos e irmãs, escolhamos também nós uma vida bela”.

PAPA FRANCISCO: QUEM É O BISPO?

DISCURSO DO PAPA FRANCISCO  NA SALA CLEMENTINA
AOS BISPOS DOS TERRITÓRIOS MISSIONÁRIOS 
QUE PARTICIPAM NO SEMINÁRIO PROMOVIDO PELA CONGREGAÇÃO 
PARA A EVANGELIZAÇÃO DOS POVOS. 

O Seminário teve inicio na última segunda-feira, 3 setembro e prosseguira até o próximo dia 15, no Pontifício Colégio São Paulo em Roma, onde participam 74 bispos de 34 países dos quatro continentes.  

Caros Irmãos, bom dia!
Tenho o prazer de conhecê-lo em seu seminário de treinamento. Com vocês saúdo as comunidades que lhe foram confiadas: os sacerdotes, os religiosos e as religiosas, os catequistas e os fiéis leigos. Sou grato ao Cardeal Filoni pelas palavras que ele me dirigiu e também agradeço ao Arcebispo Rugambwa e ao Mons. Dal Toso.

Quem é o bispo?  Vamos nos questionar sobre nossa identidade como pastores, a fim de ter mais consciência deles, mesmo que saibamos que não há um padrão-modelo idêntico em todos os lugares. O ministério do bispo estremece, tão grande é o mistério que carrega dentro de si. Graças ao derramamento do Espírito Santo, o bispo está configurado para Cristo, o Pastor e Sacerdote. É chamado, isto é, ter as características do Bom Pastor e fazer o coração do sacerdócio, isto é, a oferta da vida . Portanto, ela não vive por si mesma, mas se esforça para dar vida às ovelhas, em particular àqueles fracos e ameaçados de extinção. É por isso que o bispo nutre uma compaixão genuína para a multidão de irmãos que são como ovelhas sem pastor (cf. Mc6.34) e para aqueles de várias maneiras são descartados. Peço-lhe que tenha gestos e palavras de conforto especial para aqueles que experimentam marginalidade e decadência; mais do que os outros, eles precisam perceber a predileção do Senhor, da qual vocês são as mãos cuidadosas.

Quem é o bispo?  Gostaria de esboçar três traços essenciais com você: um homem de oração, um homem de proclamação e um homem de comunhão.
Orando homem . O bispo é o sucessor dos apóstolos e como os apóstolos são chamados por Jesus para ficar com ele (cf. Mc 3,14). Lá ele encontra sua força e sua confiança. Em frente ao tabernáculo ele aprende a se confiar e confiar-se ao Senhor. Então amadurecer nele a percepção de que mesmo durante a noite, ao dormir, ou durante o dia, entre fadigas e suor no campo que cresce, amadurece semente (cf. Mc 4,26-29). 

A oração não é pela devoção do bispo, mas pela necessidade; não um compromisso entre muitos, mas um indispensável ministério de intercessão : ele deve trazer pessoas e situações todos os dias diante de Deus. Como Moisés, ele estende as mãos ao céu para o seu povo (cf. Êx 17, 8-13) e é capaz de insistir com o Senhor (cf.Ex 33.11-14), negociar com o Senhor, como Abraão. parrhesia da oração. Uma oração sem parrhesia não é oração. Este é o pastor que reza! Alguém que tenha a coragem de discutir com Deus por seu rebanho. Ativo em oração, ele compartilha a paixão e a cruz de seu Senhor.


 Nunca satisfeito, ele constantemente tenta assimilar-se a ele, no caminho para se tornar como Jesus a vítima e altar para a salvação de seu povo. E isso não vem de saber muitas coisas, mas de conhecer uma coisa todos os dias em oração: "Jesus Cristo e Cristo crucificado" ( 1 Cor.  2.2). Porque é fácil carregar uma cruz no peito, mas o Senhor nos pede para trazer um peso muito mais pesado nos ombros e no coração: ele nos pede para compartilhar sua cruz. Peter, quando ele explicou aos fiéis que eles devem fazer os diáconos recém-criadas, acrescenta - e também se aplica a nós, bispos: "A oração e pregação da Palavra." Em primeiro lugar, oração. Eu gosto de fazer a pergunta a cada bispo: "Quantas horas por dia você reza?".
Ad Man . Sucessor dos apóstolos, o bispo percebe com precisão o mandato que Jesus lhes deu: "ide proclamar o Evangelho" ( Mc16, 15). "Vai": o Evangelho não se anuncia enquanto está sentado, mas no caminho. O bispo não vive no escritório, como dirigente de empresa, mas entre as pessoas nas ruas do mundo, como Jesus. Ela traz seu Senhor, em que não é conhecida, onde é desfigurado e perseguidos. E saindo de si mesmo, ele se encontra. Não tem o prazer de conforto , não gosta da vida tranquila e não economizar energia, você não ouvir Prince, esforça-se para os outros, abandonando-se a fidelidade de Deus. Se julgados e detém títulos deste mundo, não seria um verdadeiro apóstolo do Evangelho.
E qual é o estilo do anúncio? Testemunhe humildemente o amor de Deus, assim como Jesus, que foi humilhado pelo amor. A proclamação do Evangelho sofre as tentações do poder, do contentamento, do retorno da imagem, do mundanismo. Mundanismo. Cuidado com o mundanismo. Há sempre o risco de curar a forma da substância, de transformar-se em atores, em vez de testemunhas, de diluir a Palavra da salvação, propondo um Evangelho sem o Jesus crucificado e ressuscitado. Mas vocês são chamados a ser memórias vivas do Senhor , para lembrar à Igreja que anunciar significa dar vida, sem meias medidas, até mesmo pronto para aceitar o auto-sacrifício total.

E terceiro, um homem de comunhão . O bispo não pode ter todos os dons, todos os carismas - alguns acreditam que eles têm, coitadinhos! - mas ele é chamado a ter o carisma do todo , isto é, manter unido, solidificar a comunhão. A Igreja precisa de união, não solistas fora do coro ou de líderes de batalhas pessoais. O pastor reúne: um bispo para seus fiéis, ele é um cristão comseus fiéis. Ele não faz notícia nos jornais, não busca o consentimento do mundo, não está interessado em proteger seu bom nome, mas adora tecer a comunhão envolvendo-se na primeira pessoa e agindo com uma demissão. Ele sofre de uma falta de liderança, mas vida enraizada no território, rejeitando a tentação de partidas frequentes da Diocese - a tentação de "bispos Airport" - fugir e encontrar suas glórias.

Não fique cansado de ouvir. Não se baseia em projetos feitos à mesa, mas deixa-se questionar pela voz do Espírito, que adora falar pela fé dos simples. Torne-se um com o seu povo e acima de tudo com o seu presbitério, sempre disponível para receber e encorajar os seus sacerdotes. Ele promove pelo exemplo, ao invés de palavras, uma genuína fraternidade sacerdotal, mostrando aos sacerdotes que eles são Pastores para o rebanho, não por razões de prestígio ou carreira, o que é tão ruim. Não sejam alpinistas, por favor, nem ambiciosos: alimentem o rebanho de Deus "não como senhores do povo confiado a vós, mas fazendo-vos modelos do rebanho" ( 1 Pe 5,3).

E então, queridos irmãos, fogem do clericalismo, "maneira anômala de entender a autoridade na Igreja, muito comum em muitas comunidades nas quais ocorreram comportamentos de abuso de poder, consciência e sexualidade". O clericalismo - corrói a comunhão, na medida em que "gera uma divisão no corpo eclesial que fomenta e ajuda a perpetuar muitos dos males que hoje denunciamos". Dizer não ao abuso - seja de poder, de consciência, qualquer abuso - significa dizer fortemente não a qualquer forma de clericalismo "( Carta ao Povo de Deus , 20 de agosto de 2018). Portanto, você não sente senhores do rebanho - você não é o dono do rebanho - mesmo que outros o façam ou se certos costumes locais o favorecerem. O povo de Deus, para quem e para quem você é ordenado, sente-se pai, não mestre; pais atenciosos: ninguém deve mostrar atitudes de submissão a você. Nesta conjuntura histórica, certas tendências de " líder " parecem acentuar-se em várias partes Mostrar a si mesmo como homem forte, que mantém distância e domínio sobre os outros, pode parecer confortável e cativante, mas não é evangélico. Muitas vezes danifica danos irreparáveis ​​ao rebanho, pelo qual Cristo deu sua vida com amor, rebaixando-se e aniquilando-se. Portanto, sejam homens pobres em posses e ricos em relacionamentos, nunca duros e rabugentos, mas afáveis, pacientes, simples e abertos.

Eu também gostaria de pedir que você cuide, em particular, de algumas realidades:
Famílias . Embora penalizados por uma cultura que transmite a lógica do provisório e favorece os direitos individuais, eles permanecem as primeiras células de toda sociedade e as primeiras Igrejas, porque são igrejas domésticas. Promover cursos de preparação para o casamento e acompanhamento para as famílias: serão porcas que darão fruto na época. Defenda a vida da concebida como a dos idosos, apóie os pais e os avós em sua missão.

Os seminários . Eles são os viveiros de amanhã. Lá você está em casa. Verifique cuidadosamente se são guiados por homens de Deus, educadores capazes e maduros, que, com a ajuda das melhores ciências humanas, garantem a formação de perfis humanos saudáveis, abertos, autênticos e sinceros. Dar prioridade ao discernimento vocacional para ajudar os jovens a reconhecer a voz de Deus entre os muitos que reverberam nos ouvidos e no coração.

Jovens , portanto, a quem o próximo Sínodo será dedicado. Escutemos, nos deixemos provocar por eles, acolhamos desejos, dúvidas, críticas e crises. Eles são o futuro da Igreja, eles são o futuro da sociedade: um mundo melhor depende deles. Mesmo quando parecem estar infectados pelos vírus do consumismo e do hedonismo, nunca os colocamos em quarentena; vamos experimentá-los, sentimos seu coração implorando pela vida e implorando por liberdade. Oferecemos-lhes o Evangelho com coragem.
Os pobres.  Amá-los significa lutar contra toda a pobreza, espiritual e material. Dedique tempo e energia ao último, sem medo de sujar as mãos. Como apóstolos da caridade, vocês alcançam as periferias humanas e existenciais de suas dioceses.

Finalmente, queridos irmãos, sejam cautelosos, peço-lhes, da indiferença que leva à mediocridade e à indolência, que "démon de midi". Seja cauteloso com isso. Cuidado com a tranquilidade que evita o sacrifício; de pressa pastoral que leva à intolerância; da abundância de bens que desfiguram o Evangelho. Não se esqueça que o diabo entra nos bolsos! Desejo-lhe, ao contrário, a santa inquietude pelo Evangelho, a única inquietude que dá paz. Agradeço-lhe por ouvir e abençoar você, na alegria de tê-lo como o mais querido entre os irmãos. E peço a você, por favor, que não esqueça de orar e orar por mim. Obrigado.

08-09-2018.

CONVITE ESPECIAL: 15 SETEMBRO MANIFESTAÇÃO PELA VIDA

Aborto no Brasil? É HORA DE IRMOS PARA A RUA E SALVARMOS VIDAS

A ameaça do aborto ser legalizado no Brasil por meio do Poder Judiciário provocou uma reação inédita e necessária no Paraná. A Arquidiocese de Curitiba está unida a centenas de entidades do estado, entre igrejas evangélicas, ONGs e movimentos, numa iniciativa que pretende levar dezenas de milhares de pessoas às ruas de Curitiba para dizer não ao aborto e sim à vida. Às duas vidas: a da mãe e a do bebê.

No dia 15 de setembro, das 14h às 18h, na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio Iguaçu, ocorre a Manifestação pela Vida, para todo cidadão que defende a vida marcar a cidade com o pedido de que o Supremo Tribunal Federal (STF) não descriminalize o aborto em nosso país. 

PRECISAMOS DO APOIO DE TODOS AQUELES QUE DEFENDEM A VIDA!

COMPAREÇA! É a chance para fazer algo de concreto pela defesa da vida dos mais inocentes em nosso país!

Estão previstas apresentações musicais, testemunhos, orações e discursos num ato sem vinculações político-partidárias, destinado a toda a cidade e que promete lotar a Praça Nossa Senhora da Salete.
Durante a manifestação será gravada uma mensagem em vídeo destinada aos 11 ministros do STF, na qual toda a multidão presente dirá o que espera do tribunal.

DIVULGUE EM SUA PARÓQUIA E SEUS GRUPOS
ACESSE AQUI ALGUNS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO JÁ DISPONÍVEIS!  
Compartilhe e marque a #direitodenascer nas redes sociais

CONVITE A CONSELHOS PASTORAIS

No último sábado 23 de junho, lideranças das 07 Paróquias do Setor Colombo, participaram de uma manhã de formação na Paróquia Santa Terezinha de Lisieux, arquidiocese de Curitiba.

O evento de formação teve inicio com Pe.Regis Soczek Bandil, que motivou as lideranças e trabalhou de forma breve a "Exortação Apostólica Gaudete Et Exsultate, do Papa Francisco, onde fala sobre o chamado a santidade no mundo atual".

Na sequencia Dom Francisco Cota, motivou e orientou as lideranças, através dos documentos 100, 105, 106, 107 da CNBB. 

No vídeo á cima, uma pequena síntese, um aperitivo do que foi o encontro do Setor Colombo, com imagens onde Dom Francisco Cota, convida os meios de comunicação, rádios, mídias sociais, a divulgar o "Convite: Missa de 7° dia", conforme sátira no áudio e as orientações no vídeo, publicado à cima.

O encontro foi de alto nível, com a presença e animação do Grupo Afro, Pe.André Marmilicz CM, Pe.Tadeu Camilo, Pe.Jefferson Costa, diáconos, coordenadora: Josiane Andrade do Movimento de Capelinhas e Comissão 13, Coordenador do Setor Tarcísio Cirino, e cerca de 500 lideranças das 7 Paróquias do Setor Colombo, envolvidos com os trabalhos de Grupos de Reflexão.

Matéria: Tarcísio Cirino
25-06-2018

NOVENA DE NOSSA SENHORA DA LUZ DOS PINHAIS: COM OS BISPOS DA ARQUIDIOCESE DE CURITIBA.



Serviço:

Especial “Novena Nossa Senhora da Luz dos Pinhais”


Apresentação: Dom José Antônio Peruzzo, Dom Amilton Manuel
da Silva e Dom Francisco Cota de Oliveira

Produção: TV Evangelizar


CRESCE AS CAPELINHAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS.


Perfuraram o Sagrado Coração de Jesus e do Coração de Jesus, nasceu a Igreja.

A partir do Concílio Vaticano II, com a renovação e surgimento de movimentos milagreiros na igreja, o "AO" com a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, parecia ter cumprido sua missão e chegado ao fim e perdido as suas raízes através dos santos misticos como Santa Gertrudes e os contemplativos da escola francesa, com esta devoção de onde nasceu tantos santos na igreja.  

Os Padres Conciliares falaram muito, mas muito mesmo de Jesus, mas não entraram na linguagem devocional e mística, que dominou vários séculos. 

Em tempos de intolerância, ódio, inveja, perseguição e tantos outros males de nosso século, temos uma boa notícia.  O "Coração de Jesus está Vivo"; é um novo fenômeno que estamos presenciando e vendo através do crescimento de grupos de zeladoras(es) aderindo as capelinhas do Sagrado Coração de Jesus no "AO", e evangelizando as famílias nas casas, com a força da Rede Mundial de Oração do Papa. 

Texto: Tarcísio Cirino
23-08-2018