domingo, 25 de setembro de 2022

MISSA DO ANIVERSÁRIO DO MOVIMENTO DE NOSSA SENHORA.

 

Após dois anos de pandemia da COVID 19, mensageiras(os) de Nossa Senhora das Capelinhas, se reuniram na bem organizada: Paróquia Nossa Senhora da Boa Esperança, Setor Pinhais, e se emocionaram no encontro festivo, com a Missa em ação de graças, em memória do aniversário do movimento de Nossa Senhora das Capelinhas.

Coordenações das capelinhas de 31 Paróquias, levaram seus estandartes e se colocaram no templo com as mensageiras(os) das comunidades, sendo: 14 estandartes paroquiais de um lado e 17 estandartes de outro lado.

Desde o nascimento das capelinhas de Nossa Senhora, em 26 agosto 1888 em Guayaquil no Equador, são 134 anos de história do movimento de Nossa Senhora, a se comemorar nas dioceses católicas.

Na rica história do Movimento de Nossa Senhora das Capelinhas da arquidiocese de Curitiba, os assessores eclesiástico do movimento no passado, foram se tornando Bispo, e nas últimas décadas o movimento foi levado a um jeito de ser como que pastoral e diante ás circunstâncias, começou a comemorar o natalício a partir de 1937, com a organização capelinhas da Paróquia Imaculado Coração de Maria do Bairro Água Verde, sendo hoje, 85 anos.


Matéria e imagem: Tarcísio Cirino 

domingo, 18 de setembro de 2022

O PREÇO DA QUESTÃO RELIGIOSA!


Jesus ensinou o caminho a seguir, até naqueles últimos momentos de sofrimento, quando disse: hoje estarás comigo no paraíso! Parece que o ressuscitado, acredita que você, eu, nós, podemos aprender no caminho a perdoar, para que possamos construir pontes em terrenos de espinhos pedregosos que levam a vinha do projeto da salvação. 

Setembro, mês da Bíblia, tempo de refletir a palavra de Deus, estando nós as portas de uma polemica eleição no Brasil, que é reflexo também, da herança que recebemos do padroado régio em tempos de crises, oriundas da questão religiosa.

Uma leitura enviesada que se faz na conjuntura atual é quando extremistas radicais cristãos, sente, saudades de séculos que não viveu e pastorzinhos de nosso tempo, transferem a outros a culpa dos fracassos e afirmam em suas pregações por vezes até preconceituosas que a crise eclesial e politica que vivemos em nosso país ou no mundo, é fruto de uma arvore que tem origem na teologia marxista ou comunista e por ai vai, sem entrar nas profundezas da boa noticia do mistério da FÉ.

Cada um de nós somos a herança da semente da voz da catequese de nossos antepassados que grita no deserto de nossas consciências e hoje: podemos viver nossa herança como vitimas do veneno da serpente ou sendo protagonistas da força do espírito do ressuscitado na semeadura do mistério da salvação que culmina no reino de Deus.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

sexta-feira, 19 de agosto de 2022

SANTA CÂNDIDA E O MISTÉRIO DE NOSSA SENHORA: 85 ANOS DE HISTÓRIA.

Foto histórica da família Kachel na tradicional:Festa de Nossa Senhora das Capelinhas da Paróquia Santa Cândida, veículos da época na rua: Pe.João Wislinski. Obs: A capelinha na imagem a cima é a primeira em circulação da Paróquia, que caminhou na Igreja doméstica e deu origem ás comunidades, onde algumas comunidades já se tornaram Paróquias.



Porque em Curitiba a Festa de Santa Cândida é realizada no mês de agosto?

Agosto mês vocacional e refletindo a pergunta á cima a mais de 8 meses em nossa caixa de mensagens, pensei em falar que existe outras Santa Cândida e depois de uma profunda reflexão, resolvi de forma particular, falar o que penso, nesse momento de festividades.

O Martirológio Romano, mostra que a virgem e mártir Santa Cândida, morreu no Anfiteatro dos martírios de Cartago e recebe da Igreja as tradicionais homenagens litúrgicas no dia 20 de Setembro. 

O primeiro Pároco de Santa Cândida - Pe.João Wislinski, foi responsável pela construção da Igreja matriz, atual, com a inauguração e benção solene em 11 outubro 1936, por: Dom Ático Eusébio da Rocha. 

Na conjuntura da época, o pároco passou por muitas dificuldades financeiras e me parece que foi se enculturando as realidades, para atingir, necessidades materiais e espirituais.

Conta-se os experientes que o apostolado de Nossa Senhora das Capelinhas em Curitiba, desde 1935/36 se reuniam para rezar o rosário em suas paróquias com objetivo de agradecer e transmitir a FÉ, através da devoção mariana que culmina na festa de Nossa Senhora das Capelinhas a se comemorar todos os anos, no dia 26 de agosto.

Em 1944 o mundo sofria ás consequências da II Guerra Mundial e a capital paranaense e região passava por uma grande seca no campo com o gado morrendo por falta de alimentos e água. 

A Colônia Santa Cândida, estava ás portas da tradicional festa da Padroeira e diante a crise financeira da comunidade oriunda da grande seca e guerra, não era possível diante ao contexto a realização da festa.   

Segundo os relatos do Pe.João Wislinski, no domingo 27 agosto 1944 aconteceu a festa, que ficou só na parte espiritual, com Missa ás 10 horas da manhã e na sequencia: Adoração ao Santíssimo que se prolongou até 15horas, horário da novena, com a comunidade passando o domingo em oração.
 
Na noite de 28 agosto para o dia 29 agosto, dê repente o céu cobriu se de nuvens, trovejou e choveu por toda a noite até o dia seguinte e assim o povo ficou feliz e agradeceu a Deus e Santa Cândida. 

Diante ao mistério do milagre da chuva, me parece do meu ponto de vista particular, que se tornou tradição na colônia polonesa a festa da virgem e mártir Santa Cândida no mês de agosto.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino 

sábado, 6 de agosto de 2022

SUICÍDIO NA COMUNIDADE - 1° Parte

A comunidade dos batizados é a Igreja, no entanto ás consequências do ativismo é a tentação do carreirismo, que vai levando parte dos cristãos ao alto da pirâmide e ali ao visualizar as forças do espírito que governa ás sociedades no mundo, pode cair do alto no suicídio, e ai a importância de uma profunda reflexão. 

Com essa reflexão em 3 partes, quero ajudar o amigo leitor a compreender a missão da comunicação na conjuntura atual.

Participando de um encontro de comunicação no auditório do Santuário de Aparecida, alguns anos atrás, foi convidado um Padre para fazer a palestra e o Padre não foi e enviou uma professora em seu lugar. 

Obs: Com essa introdução, quero com outras palavras, narrar a baixo, experiências vividas, que ajudara você a pensar nos próximos capítulos e compreender a problemática em que o seguimento, está inserido.  

Todos estavam aguardando a presença do Padre, e de repente, uma professora de comunicação se apresentou e disse: Eu amo a Igreja e sendo professora de comunicação, resolvi evangelizar através das redes sociais e depois de muitos trabalhos publicados, fruto de muito estudo, me decepcionei, fiquei frustrada com as comunidades católicas, pois ninguém curtia ou fazia comentários, positivos ou negativos e cheguei a pensar que não tenho dom para ser professora e pensei que já estava na hora de desistir do trabalho. 

Foi então que conversando com uma amiga, sobre o assunto ela me aconselhou e disse: Olha amiga, tenho observado os padres nas redes sociais e olha é de arrepiar os absurdo que acontece, até a foto de um grilo no asfalto quente o povo curti, porque você não conversa com o padrezinho de sua comunidade sobre o assunto, vai que ele aceita publicar os seus textos de evangelização.

Frustrada com a situação, resolvi ir conversar com o Padre, ele pediu um tempo para a leitura dos textos e depois me disse: Olha professora o seu trabalho é excelente, só existe um problema não tenho em meu nome, páginas nas redes sociais, agora se você puder administrar com responsabilidade nas mídias a construção da página para o Padre, está autorizada a fazer as publicações em meu nome.

A professora criou a página e fez ás publicações e acredite em poucos minutos os textos de evangelização que precisava de muita reflexão, foi sendo compartilhado por "católicos de verdade" e centenas de pessoas curtia, compartilhava e comentavam: que benção Padre, lindo texto, maravilhoso, o senhor é uma benção de Deus, é isso mesmo que estávamos precisando... Parabéns! 

O Padre fez tanto sucesso nas redes sociais que em poucos meses se tornou tão conhecido, que a coordenação de comunicação da CNBB, na época, convidou a celebridade para fazer palestra no Santuário de Aparecida e diante ao contexto o Padre não foi e enviou a autora dos textos de sua página á professora, para fazer a palestra aos comunicadores do Brasil.

Não perca na próxima semana a 2° Parte!

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino


domingo, 17 de julho de 2022

A MISSÃO DA COMUNICAÇÃO NA CONJUNTURA ATUAL.

A missão dos discípulos de Jesus Cristo, nos dias atuais não é um processo fácil, pois, no último século: organizações secretas, foram crescendo de forma estratégica e tomando conta das comunidades, fortalecendo seus objetivos através de seus ideais, junto ao meio político, que culmina no controle de toda sociedade no mundo. 

Diante a conjuntura: quando não fazendo a leitura da realidade tal como ela é, transferimos a culpa dos ressentimentos e fracassos para ás pandemias ou para o secularismo, marxismo e outros ismo, que culmina também no demônio que criamos no "outro", onde,  denominamos o nosso inimigo e precisa estes ser derrotado para que sem sacrifícios de cruz, possamos ter sucesso e isso é um erro?


Sim, em nosso tempo, parece ser um sacrifício escutar ou acolher a Palavra de Deus, trabalhando na prática a construção do reino, em tempos onde o ativismo em meio a cultura missões é; benzer casas, fazer fichas de cadastro em uma espécie de censo para saber se as famílias ainda são cristãos e quantas famílias precisam de cestas básicas e outras ajudas de politicas públicas.


Diante a problemática o que fazer?


Reconhecer que não somos donos da verdade e acolher na prática o trabalho do processo da Igreja em Saída, para que ás gerações que ainda não nasceram, saibam fazer a leitura dos tempos e tenham a graça de receber o depósito da fé, para que no caminho reconstruam ás células das pequenas dioceses nas comunidades de Fé á Eclésia.


Dito isso, a partir dai me parece que, para a mensagem da boa notícia ultrapassar as fronteiras do tempo, os meios de comunicação cristãos em unidade com os demais, também na linguagem, são fundamentais no processo da transmissão da Fé.  

 

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

sexta-feira, 1 de julho de 2022

BORA LÁ, SER FELIZ - PÓS-GRADUAÇÕES VICENTINA

Querido amigo, querida amiga.

Pedimos a sua permissão para apresentar alguns cursos de pós-graduação que a Faculdade Vicentina está lançando neste segundo semestre de 2022.

Nossos cursos são reconhecidos pelos MEC, e estão estruturados em três eixos: formação cristã (Teologia); gestão de instituições religiosas (Administração) e aprofundamento filosófico (Filosofia).

É uma excelente oportunidade para levar formação de qualidade para os leigos que atuam nas diversas pastorais, que depois poderão se tornar multiplicadores em suas comunidades. Temos descontos especiais para paróquias. Confira!

Mais informações nos links abaixo, ou respondendo a esta mensagem. 

Respeitosamente,

Faculdade Vicentina
55 anos de tradição e qualidade.
Clique no link abaixo e acesse nossas Pós- Graduações com inscrições abertas.

domingo, 26 de junho de 2022

RENUNCIAR PAIXÕES DO MUNDO E VIVER O CHAMADO!

Na longa estrada a caminho do encontro com o ressuscitado á quem diga que a marcha para Jesus se transformou na marcha do "messias", outros dizem que os feriados cristãos católico é hoje, empreendedorismo do turismo religioso politico, que investe muito em marketing e outros ainda dizem que a pregação missionária da boa notícia saiu de foco, para dar lugar ao poleiro dos "lideres que atraem, fiéis hipnotizados".

Em tempos de obesidade espiritual em uma sociedade polarizada, o mundo enterra os seus mortos e utiliza-se da ingenuidade das famílias que sofrem, em parceria com os esquemas de pastores pop star, que oferecem cura e salvação para conquistar o sucesso da audiência junto aos fiéis devotos em diversas localidades, através da tele evangelização.

As famílias ou o povo que sofre, vai sendo manipulados em suas consciências e a partir dai, torna-se como que escravos da massa consumidora de diversos produtos por influência dos esquemas da cultura de auto conservação e manutenção das mídias: livros de autoajuda, bíblias autografadas, camisetas, DVDs, entre outros produtos. 

Parece que diante a conjuntura, todos levam vantagem: as redes atraem patrocinadores, os políticos são destacados nas solenidades da fé, sendo, notícias em destaque e esses, proporcionam concessões e auxílios na pirâmide em troca do apoio das lideranças da instituição, para o marketing com foco na massa eleitora que os interessa e assim a magia do espírito midiático controla o seguimento, mantendo-o alienado para a realidade que sustenta a ordem dominante.

É dentro desse contexto que hoje, Javé faz o chamado na esperança que você que vem pelo caminho do ressuscitado, encontre os sinais da semente enterrada, onde muitos já cansados de sofrer, passam a se conformar com sua condição submissa de mortos e aceitam viver as normas do espírito desse mundo para preservar os benefícios do sistema de poder.

  

Em nosso tempo, quem procura escutar o chamado e conhecer quem é Jesus? É cancelado, no entanto no martírio da modernidade, faz, a experiência com o ressuscitado e trabalha com a vida do eterno, em prol da construção do reino de Deus, na firme esperança que quando o Senhor voltar, encontre os frutos da semente da Fé no mundo.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino