quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

REFLEXÃO: EVANGELHO DOMINICAL

Nossa Reflexão: MC 1,40-45
A estrutura religiosa do tempo de Jesus, é muito bem organizada, e parte de suas diretrizes está dentro do que chamamos hoje, no mundo atual, "Teologia da Prosperidade."
O Mestre Jesus, ao escolher a sua equipe de trabalho, "Vem Segue Me", leva os discípulos, para sua escola, á conhecer na prática, abrindo os seus olhos, para a triste realidade da estrutura religiosa daquele tempo, que exclui as pessoas que não tem posses, os miseráveis, Pobres, enfermos, colocando os a viver marginalizados e excluídos da comunidade.
Jesus entra na Sinagoga, com sua equipe, e a comunidade, percebe que Jesus, ensina, com autoridade.
Ao sair da Sinagoga, e estender a Mão, a sogra de Simão, e realizar a cura, da mulher enferma, as notícias repercutiram na comunidade e na sociedade.
Na liturgia deste (6) Domingo do Tempo Comum, vemos um homem enfermo, um leproso, que pelas diretrizes religiosas, daquele tempo, o enfermo, leproso, deveria procurar o sacerdote, mais o enfermo quebra o rito, porque sabe que indo até o sacerdote, será excluído da Sinagoga, da Comunidade, Sociedade, sendo declarado impuro, pelo sacerdote.
Diante do contexto, o leproso vai até Jesus, e de joelhos, súplica, "Se quiseres, poderás limpar-me".
O Mestre Jesus, sabe que-se, tocar no enfermo, leproso, pelas normas: as diretrizes religiosas daquele tempo, também "Ele Jesus, será declarado, Impuro, pelos sacerdotes".
Mais o Bom Jesus, quebra o rito, e se compadese, da enfermidade daquele homem leproso, "Estende a Mão, toca o enfermo e diz: Eu quero, fica limpo".
Ao tocar e curar o leproso, agora Jesus passa a ser um excluído, um marginalizado, e terá que viver caminhando, pelas periferias com os Pobres, miseráveis, enfermos, levando a todos(as) que sofre, o projeto da salvação.
Jesus é um Leigo, Impuro, para as estruturas, daquele tempo.
Na próxima semana, não perca, "Nossa Reflexão': 1º Domingo da quaresma 2018

Texto Reflexão: Tarcísio Cirino
09-02-2018


Nossa Reflexão: MC 1,12-15
1º Domingo da quaresma 2018

Israel não era uma nação independente, e a Judéia, era província do Império Romano.
Roma impunhava suas diretrizes(Leis), mais era tolerante com os Países, conquistados, desde que a colônia não-se rebelasse, contra as "leis do Império Romano".
O Sinédrio em Jerusalém, funcionava como um sistema de representação, Jurídico, Político, Religioso.
O templo com sua imponente liturgia, tinha perdido o monopólio, e por interesses, religiosos políticos, conseguia unir; fariseus, saduceus, essénios, zelotes, Galileus, herodianos, publicanos, escribas, e outras seitas.
Os sacerdotes nomeados, segundo, a "velha lei", tinha autoridade diante do Povo, mais as suas palavras, não tinha credibilidade.
É dentro deste contexto social e religioso, que aparece, João Batista, o último dos profetas, preparando o Povo, através de um batismo de conversão, para a chegada do messias.
Certo dia, enquanto o Batista, realizava o batismo, viu Jesus se aproximando do rio Jordão.
E João diante da multidão, diz: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo".
Jesus, entra no rio Jordão e vai até João, para também receber o batismo.
João Batista, não compreênde atitude de Jesus, e diz: "Eu é quê devo ser batizado, por ti e tu vens a mim?
Jesus, responde; " Deixa agora, pois convém que assim cumpramos, toda a justiça".
Ao realizar o batismo, o céu se abriu e o "Espírito, desceu sobre Jesus e uma voz do céu, diz: Tu és o filho amado, de ti, Eu bem me agrado".
Na liturgia deste (1º) primeiro domingo da quaresma, vemos Jesus, que após o Batismo, vai para o deserto, onde na força do "Espírito Santo, durante 40 dias, faz uma profunda reflexão, diante de sua missão, no percurso de sua caminhada durante a vida, como filho de Deus: E por Satanás é tentado.
Nossa Reflexão: não perca na próxima semana, o (2º) segundo domingo da quaresma.
Texto Reflexão: Tarcísio Cirino
16-02-2018 


Nenhum comentário:

Postar um comentário