domingo, 10 de novembro de 2019

82 ANOS: FAMÍLIAS QUE RECEBEM AS CAPELINHAS E MENSAGEIRAS(OS) REZAM COM O ARCEBISPO.


Em tempo de missões: a estrela da nova evangelização a grande missionária continua caminhando nas periferias, avenidas, praças, condomínios e visitando as famílias através das mensageiras(os) de capelinhas.   

Outubro mês missionário, mês da Padroeira do Brasil e neste sábado 26, parte representativa das famílias devotas que recebem a visita domiciliar de Nossa Senhora em seu lar, participaram da Missa em ação de graças, rezando e homenageando o aniversário de 82 anos da primeira capelinha que deu origem ao movimento de Nossa Senhora das capelinhas na Paróquia Imaculado Coração de Maria, e se espalhou por todas paróquias da arquidiocese de Curitiba.
A Santa Missa, aconteceu na Paróquia Santa Madalena Sofia Barat, com inicio as 14h40, com a presença do Pároco: Pe.Alex Cordeiro Lopes, diácono Marconato, diácono Sidiney e foi presidida pelo arcebispo da arquidiocese de Curitiba: Dom José Antônio Peruzzo, com a participação de famílias que recebem as capelinhas, onde cerca de 750 pessoas incluindo as mensageiras(os) participaram do evento e após a Santa Missa, aconteceu a confraternização no salão da Paróquia com o tradicional bolo de aniversário e pastel. 

Dom Peruzzo: o arcebispo iniciou a Santa Missa, lembrando os tempos de quando era criança, com alegria que a família sentia quando Nossa Senhora chegava em sua casa através da imagem de Nossa Senhora de Salette na capelinha e os Pais então dava a missão ao menino Peruzzo de acender a vela para que a família iniciasse as orações.

Durante a homilia o arcebispo levou todos a refletir os fatos nas diversas aparições de Nossa Senhora e lembrou que Deus sempre escolhe agir a favor de seus filhos, e sempre é aproximação da Mãe de Deus, da Mãe dos filhos de Deus cuja a linguagem se deixa compreender para pessoas muito humildes e pobres, das quais a vida não teria dado sorrisos e graças(A porta bateu forte). 

Refletindo a visita de Nossa Senhora, lá na casa de Isabel, lá foi a capelinha, e Izabel representava o antigo testamento que esperava que um dia Deus se manifestasse. 

Mais Isabel era estéril; e lá a idosa era rejeitada, e lá o Senhor quis dar uma resposta e lá foi a jovem que levava consigo o salvador que esperavam, e éla foi até lá para dizer o quanto Deus se deixa encontrar por aqueles que o buscam. 

O que eu vos recomendo: queridos mensageiros(as) temos 82 anos de história em Curitiba e um movimento assim ao olhar para o futuro poderíamos dizer que pode se acabar, ou pode se renovar; olhem a ternura nunca envelhece, afetos não tem idade.

Então vem cá vovó; quando era criança gostava de afagos, cresceu gostando de afagos e chegou a idade que está e ainda continua sendo mensageira(o)?  O afeto faz bem a quem o demonstra, e renova quem o recebe, entenda como portadora das ternuras de Deus e de Nossa Senhora para as famílias as quais levam as capelinhas e um belo dia a própria Mãe de Nazaré lhe dará um abraço. 

Subsídio de evangelização: Livro Caminhando

Por último o arcebispo: Dom Peruzzo, apresentou o novo subsídio de evangelização da arquidiocese de Curitiba, Livro Caminhando e motivou as mensageiras(os) já ir adquirindo o subsidio para os setores de capelinhas das paróquias da arquidiocese.  

Matéria: Tarcísio Cirino
26-10-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário