terça-feira, 19 de outubro de 2021

O PROTAGONISMO DO MINISTRO DA EUCARISTIA NA ATUALIDADE.

O povo de Deus, quando consultado nos tempos bíblicos, sempre escolheu o lado sombrio e foi na contra mão da vontade do eterno a exemplo do tempo dos juízes quando escolheram Saul e outros momentos bíblicos nos tempos de Moisés em especial mais tarde quando Pilatos lavou ás mãos diante da opção do povo por: Barrabás.  

Não sei de onde nasceu o sentimento ou a expressão de que a voz do povo é a voz de Deus, no entanto é possível que o povo por vezes foi levado a escolher o lado errado da história, porque suas consciências foram manipuladas desde o berço para a manutenção das estruturas com as promessas de milagres e poder com benefícios de governos desse mundo que se alimenta da ingenuidade daqueles que sofrem.

Com essa provocação, penso em levar os amigos a refletir, a 1° parte de 3 reflexões que publicaremos em breve do porque nadamos, nadamos e a sensação que temos é que morremos ou estamos morrendo na praia.

Em uma noite antes da pandemia, funcionários da cúria realizando formação no intuito de no final, realizar a venda de livretos; de repente um irmão de pastoral me cutucou e disse: Já é tarde amigo, todo dia, preciso me levantar ás 4h30 da manhã para chegar no trabalho ás 7horas, será que esse pessoal da cúria, se não fossem funcionários de venda, estariam nas paróquias até tarde da noite?

De um jeito simplista através de nosso ponto de vista particular, vou levá-los a perceber e compreender o que está oculto na real problemática da fumaça na estrutura de uma diocese, paróquia com as dezenas e dezenas de pastorais, movimentos, organismos, associações.

No passado recente as formações em forma de uma espécie de padaria, trabalhava para uniformizar ás consciências, onde todos saiam meio que acreditando que o mosaico é a riqueza da Igreja, mais na prática isso é uma Igreja fragmentada e quanto mais pastorais, movimentos, mais a Igreja foi sendo dividida e diante da conjuntura, hoje a necessidade da sínolidade em tempos onde muitos ficam em cima do muro com as soluções fácil, formando através de clube de afinidades, coordenações que por vezes não possuem agentes pastorais fora do conselho e já não representa pastorais e movimentos, em especial o povo de Deus.

É dentro desse contexto também que o sacerdote recém ordenado sai do seminário entusiasmado com a nova evangelização e por vezes sem primeiro fazer a experiência de vigário, pároco, trabalhando em uma paróquia, já assume por afinidades ou corporativismo a coordenação de uma pastoral ou movimento a nível de diocese e ás vezes, pouco tempo depois já é nomeado Bispo.

Enquanto isso nas comunidades de comunidades o povo de Deus, sofre ás consequências e quando chega o novo pároco ou bispo, ás vezes são como políticos que não dá sequência a trabalhos e deixa no esquecimento tudo o que já foi feito e fomenta campanhas de marketing com objetivo de aumentar mais pastorais por afinidades com as mesmas pessoas das velhas pastorais e assim articula a manutenção das estruturas e sem perceber vai produzindo gerações de radicais.

Parece que ninguém é culpado da problemática pois a séculos o sistema sempre foi assim e ai a importância do Papa Francisco em nosso tempo, reconstruindo a Igreja e o Sínodo é SIM um começo pois vai escutar a todos.

Dito isso nos dias atuais o testemunho cristão católico dos MECE: Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, estes sentinelas estão carregando a cruz de Cristo nas costas e se tornaram os grandes protagonistas na catequese da transmissão da Fé,  realizando celebrações de corpo presente, levando aos cárceres existenciais o pão vivo que desceu do céu aos enfermos e idosos das periferias com a Palavra de Deus e a presença de Jesus ressuscitado na EUCARISTIA.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino



domingo, 10 de outubro de 2021

CARO TEÓFILO COMO ESTÁ Á MISSÃO?

Na busca de conhecer os mistérios que governa o universo, organizações secreta nasceu com a civilização em meio a sociedade da Babilônia no antigo Egito, Pérsia, Síria, com objetivo de conquistar o monopólio dos templos para controlar os rumos do povo na sociedade através da arte do sistema político de governar. 

Irmãos: em nosso tempo para vencer os principados que são como vírus nos ares, precisamos reconhecer que o mal existe e com muita humildade, recomeçar na escola de Jesus, reaprendendo tudo de novo, voltando ao início de tudo a ser como uma criança.

Me lembro quando ainda era uma criança de rua e certo dia encontrei pelo caminho em minha cidade natal o Pe.Vitor Coelho que vinha pela rua empoeirada, segurando em um dos braços a imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Pe.Vitor Coelho parou em minha frente, segurando a imagem de Nossa Senhora e colocou a mão sobre a minha cabeça e olhando em meus olhos, disse: Nossa Senhora gosta muito de você e da missão que Deus, preparou.

E na inocência de uma criança, olhei para a imagem de Nossa Senhora e disse: Padre, então fale para a mãe de Jesus que estou cansado de sofrer, por não ter o que comer e não ter o que vestir. O padre retirou do bolso um terço e me deu e depois daquele dia a vida de nossa família foi melhorando com as graças de Deus.

Em tempos de missões, visitando uma família em um bairro da periferia, a senhora do lar, viúva me dizia: missionário eu ainda era jovem, quando precisei alugar o salão paroquial em minha juventude para fazer a festa do casamento e agora, depois de mais de 40 anos, pensei em alugar novamente o salão paroquial para reunir em uma festa os meus filhos, netos, amigos e fiquei surpresa em saber que as dificuldades foi a mesma de minha juventude, pois o conselho a coordenação que administra o salão a paroquia ainda são as mesmas pessoas de 40 anos atrás, com os mesmos critérios e porque não acontece renovação?

O Papa Francisco sentindo muita vergonha, diante dos abusos na França e outros países em sua mensagem no ângelus do último domingo (3), levou o seguimento cristão à refletir e rezar diante da triste realidade, no entanto de nosso ponto de vista particular ao visualizar ás mensagens que chega, vez ou outra a este veículo de comunicação, nos faz pensar que os abusos não é fruto apenas de uma tentação pessoal e sim de uma organização muito maior, á sociedade secreta. 

Diante do contexto o que fazer?

Á décadas estamos trabalhando que a saída para a problemática é a Igreja doméstica, com subsídios bem preparados para a nova evangelização e até com parte dos sacramentos sendo realizados, naquilo que denominamos: áreas missionárias que são pequenas "dioceses da Igreja doméstica"no entanto o que nos parece é que diante da conjuntura do mundo eclesial é preciso uma profunda reflexão, sabendo escutar para depois discernir.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

sábado, 2 de outubro de 2021

OUTUBRO: MÊS MISSIONÁRIO, MÊS DE NOSSA SENHORA, TEMPO DE MISSÕES!!

Com a força das mídias á décadas a religiosidade sem espiritualidade, vem influenciando e deixando a nossa geração doente e sem consciência critica.

A partir dai o homem de nosso tempo preenche as suas lacunas na busca do culto ao corpo, procurando uma religião a seu gosto, buscando a felicidade no aplauso e desta forma se preenche as suas carências afetivas de onde nasce em nosso tempo o grande mercado das seitas.

Dito isso é urgente um olhar a realidade da conjuntura social e com consciência critica, comunicar com competência e maestria estratégica para que ás próximas gerações conheça ás forças do sistema cruel que governa o mundo.

Amigos: quando fomos batizados, não recebemos o batismo em nome dos donos de comunidades ou em nome das milhares de denominações eclesiais que estão esparramadas por ai no mundo.

Caminhando pelas periferias existenciais, por vezes, penso nas recomendações do apóstolo Paulo a seu discípulo, quando com empatia diz: lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos, que eu anuncio e pelo qual sofro.

Em nosso tempo, organização secreta, seitas, causou a descristianização através da fumaça dos tradicionalismos e outros "ismo", presente na sociedade e hoje, com dificuldades o resto dos cristãos já idoso que sustenta com aposentadorias ás comunidades, estão remando para o martírio em meio a ventania do deserto, com objetivo de manter aceso na escuridão a chama da lamparina na firme esperança que você acorde do sono em que dorme e receba a chama da missionariedade cristão e tenha força para remar, rumo aos desafios da nova evangelização.

Todos nós do seguimento cristão, fomos batizados: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e a partir dai, somos parte do Corpo de Cristo e isso é mistério da FÉ.

Diante do contexto, penso na ação do eterno, quando o mensageiro comunica a Maria que ela foi escolhida para ser a Mãe do filho de Deus e diante do anuncio a jovem não se fecha em si mesmo para receber o aplauso as honras, prestígios, riquezas, glórias, poder; e na contra mão do sistema do mundo, Maria sai correndo ao encontro dos que sofrem e vai levar esperança no difícil caminho do deserto e ao encontrar a idosa Izabel sua prima grávida; Nossa Senhora faz memória da ação de Deus na história do povo que sofre e anuncia a vontade do eterno dizendo: que sua misericórdia se estende de geração a geração. 

Em nosso tempo quem quiser ser influente no presente para mudar a conjuntura do mundo atual, precisa amar o povo que sofre, sabendo escutar para saber discernir e com maturidade na fé, anunciar até ás últimas consequências. 

Eu não sou carismático, mais se você leu até aqui: AMÉM!!

Nas próximas publicações daremos sequencia a reflexão.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino


domingo, 19 de setembro de 2021

O QUE FARIA SÃO VICENTE DE PAULO: DIANTE DA CONJUNTURA DO MUNDO ATUAL?

 Mês da Bíblia e com está mensagem penso levar os amigos à refletir o que faria Pe.Vicente de Paulo nos dias atuais, diante da conjuntura eclesial e das pandemias que estamos vivenciando no mundo, hoje.


Em nosso tempo, corre se o risco de nós cristãos católicos ficarmos aprisionados em uma sala, reunião ou em uma assembleia com os escritos de nossa biblioteca e esquecermos a ordem de Jesus a seus discípulos e o tesouro que possuímos através de nossa profissão de fé, esquecendo da ação do eterno na providência divina. 

Conheço um homem que chegou ao terceiro céu e viu os governos desse mundo e o seu fim.

Deus é misericordioso e fala em nosso tempo, em nossa consciência, também, através dos fatos cotidianos da história que acontecem na casa comum e são noticiados pelas mídias na sociedade e suas consequências com o fenômeno do nascer e por do sol.

Amigos; nos dias atuais alguém dizer que é católico já não significa nada e particularmente sinto que precisamos ser cristãos ou seremos mais um em meio a multidão como que um pagão.

É dentro deste contexto que nos dias atuais precisamos da ação do espirito missionário cristão de São Vicente de Paulo.  

Pe.Vicente de Paulo não foi analfabeto institucional e soube com sabedoria fazer a leitura do tempo, sendo o protagonista do coração do evangelho e com a força da boa notícia, alimentou os mais pobres em suas necessidades materiais e espirituais. 

E como sair da paralisia e construir o reino do eterno?

Nos últimos 20 anos, uma Paróquia Vicentina foi uma das pioneiras no rito do catecumenato com o Pe.Gilson Camargo CM e no transcorrer da década para aumentar o número de catecúmenos e obras da Fé, aconteceu um projeto missionário denominado: Áreas Missionárias que revolucionou a Igreja doméstica no setor e outras regiões fora de Curitiba, germinando catecúmenos na Paróquia Vicentina até o momento atual através da ação missionária bem organizada que teve início com a motivação: Pe.Marcos Gumieiro CM e o Pároco: Pe.Simão Valenga CM. 

Nos últimos anos em especial com a pandemia e falecimentos nas áreas, muitos se desmotivou.

Sugestão 2022: As Irmãs Vicentinas com a Imagem de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa poderia fazer o oratório e assim se possível com ajuda do Pe.Marcos Gumieiro, Pe.Simão Valenga, que são conhecedores do projeto das Áreas Missionárias e demais co-irmãos, poderia dar ênfase, melhorando e motivando o trabalho missionário em todas Paróquias Vicentinas e assim até: São Vicente de Paulo, Nossa Senhora e seu filho Jesus, vem ao nosso encontro nos ajudar e agradecer com um forte abraço ás iniciativas e motivações da construção do reino de Deus. 

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

sábado, 4 de setembro de 2021

BÍBLIA: A VERDADEIRA RELIGIÃO E A SEMANA DA PÁTRIA!

Em tempos de Jesus pop star: vivemos em meio a muitos amuletos, poluição virtual ou campanhas publicitárias que tem como objetivo levar ás consciências para "religião" através de cursos virtuais.

Amigos: será que a gente consegue aprender andar de bicicleta e ser um bom ciclista em território pedregoso através de curso nas redes sociais?

A oração é como aprender andar de bicicleta e quando verdadeiramente no caminho fazemos a experiência, aprendendo á andar, comunicar ou dialogar com o Senhor a espiritualidade nos impulsiona a ser Igreja e a partir dai não vivemos mais de teorias, não vivemos mais só de ouvir e como missionários em ação que escuta a palavra de Deus, somos impulsionados através da força do espírito santo a testemunhar o projeto do reino, sabendo que o diabo é fundamentalista e até já tentou Jesus no monte com a Bíblia.

E como saber qual é a religião pura e verdadeira onde Deus fala hoje?

A liturgia do último domingo, nos da uma pista um sinal, onde o Senhor fala que a verdadeira religião é aquela que seus discípulos cuida das viúvas, pobres, necessitados e por ai vai.

Veja amigos que interessante o Senhor poderia dizer que a religião pura e verdadeira é aquela que ás pessoas ficam em casa ou dentro dos templos, rezando dia e noite. Aliás de nosso ponto de vista já é um começo, mais não foi isso que o mestre ensinou.

O fato é que Jesus mostrou que á sua Igreja é aquela que não fica atrás de tradicionalismos e sim aquela que defende a vida, cuida das viúvas, desamparados e não deixa se contaminar pelos esquemas de governos desse mundo, pois não somos a Igreja do marketing que louva só com os lábios e SIM somos a Igreja que se refugia no Coração de Jesus e procura viver o seu mandamento de amor em meio ao mar em fúria.

Você já parou para refletir quantas pessoas ficaram viúvas, viúvos, órfãos, desempregados, refugiados, e estão em lágrimas, pelas avenidas e lugarejos sem casa para o repouso ou estão nos hospitais, enfermos, a espera da visita de suas famílias que passam por muitas necessidades materiais e espirituais nesse tempo de pandemia?

Enquanto isso a cegueira espiritual vai crescendo e muitos até do meio eclesial, perderam o discernimento e estão mais preocupados com os esquemas do feriado da pátria e LIVE sem audiência que só os clericalizados vê. 

Rezemos para que sejamos a Igreja das obras da FÉ, Igreja em saída, sendo solidária na oração e caridade para que a menos possamos amenizar o sofrimento de quem sofre... Amém!

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino



 

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

A SALVAÇÃO ESTÁ NA CONVERSÃO DE CATÓLICO Á CRISTÃO.

 

A comunicação que não leva o homem refletir com os pés no chão a cultura sistêmica dos alicerces da pirâmide que produz a indiferença e suas consequências existenciais na sociedade é uma comunicação alienante, imatura, que germina uma fé insossa, pois não motiva nossa geração: pensar, questionar e se comprometer com o projeto da ação de Deus. 

Vivemos em uma aldeia cada um em seu condomínio em sua tribo e nos encontros a todo instante surgem questionamentos sobre o sujeito eclesial, políticas públicas, a ética, moral, formação dos ramos vocacional e sua eficácia ou ineficácia na conjuntura social e como fortalecer o protagonismo eclesial em uma sociedade oriunda de uma catequese imatura de conhecimento e sem experiências de fé em uma aldeia global governado pelas mídias?

Instituições ou organizações que antes da pandemia parecia ser imortal com suas estruturas e certezas, chegaram agora ao limite e estão vagando como fumaça pelo vento e com o tempo, podem deixar de existir.

Em meio as incertezas, radicais enviesado com as manias de perseguição utilizam a instrumentalização e com a força das mídias sociais, trabalham ás consciências com os seguintes argumentos..

Durante séculos a instituição assistiu o sepultamento dos imperadores, reinados, governos e todas gerações do passado que nos perseguiram. Hoje ás dificuldades que estamos passando é culpa da modernidade, é culpa das espiritualidades com foco em defender a ecologia, é culpa da pandemia oriunda da nova ordem mundial, é culpa do motu próprio Traditionis Custodes, e por ai vai a manipulação das consciências. 

Parece  que essas lideranças tem dificuldades em olhar no espelho e assumir seus erros dando testemunho de vida e como talibãs não querem compreender o espírito da Igreja em saída na conjuntura atual e fazem do passado um meio para seus próprios interesses que culmina em recusar o conhecimento que vem da reflexão: fé e razão e assim transformam parte do seguimento religioso em um fideísmo.

A Fé é um dom um presente que Deus concede na conversão do coração de pedra e diante do contexto a salvação está na conjuntura da Igreja em saída.

Dito isso, de nosso ponto de vista; precisamos nós todos a começar por mim, deixar Deus retirar o coração de pedra e nos transformar de vaso católico em Cristão e isso não significa mudar de religião e sim uma mudança interior de comportamento e mentalidade.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

NOSSA REFLEXÃO: O MISTÉRIO DA ASSUNÇÃO NA CONJUNTURA ATUAL.

Mulher não tinha voz e era escrava dos esquemas da estrutura cultural e politica em tempos de governos contemporâneos do império romano e diante da conjuntura social, Maria a Mãe do ressuscitado ficou esquecida por quase quatro séculos e como compreender a rainha do céu na conjuntura social do nosso tempo?

No pós ressureição do filho de Deus, os apóstolos enfrentaram muitas dificuldades no processo de evangelização, pois, se falassem da Mãe do ressuscitado em regiões do mundo que era dominado pelas culturas dos "deuses matriarcais" corria se o risco da Mãe de Deus, ser  equiparada pelo povo aos deuses da época a exemplo da grande deusa: Isis, Artemis, Creta e outras(os).   

Quando o cristianismo passou a ser a religião oficial do império romano o Papa Silvestre começou a reformar o calendário romano, retirando os feriados dos deuses pagãos para dar lugar á liturgia da solenidades cristãs. 

Para a mentalidade cultural da época as solenidades cristãs estava carente da figura feminina maternal e a partir dai, Nossa Senhora começa a preencher essa lacuna mostrando para o mundo que o cristianismo tem uma Mãe e começa os conflitos.   

Cirilo de Alexandria com objetivo de combater as heresias e com apoio do Bispo de Roma, convocou no ano 431 o Concilio de Éfeso, com a presença de 250 Bispos e outras autoridades e no fim o patriarca São Cirilo atinge os objetivos vencendo as heresias e a Mãe de Jesus é agraciada com o titulo Theotókos ( Mãe de Deus ).

No dia 1° Novembro 1950 através da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus, o Papa Pio XII proclamou o dogma da assunção de Nossa Senhora ao céu de corpo e alma e sua festa é celebrada no dia 15 agosto.

Pio XII: pela autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos santos apóstolos Pedro e Paulo e em nossa própria autoridade, pronunciamos, declaramos e definimos como sendo um dogma revelado por Deus que a Imaculada Mãe de Deus a sempre virgem Maria, tendo completado o curso de sua vida terrena foi assumida, corpo e alma na glória celeste.

Nos dias atuais é possível que a polarização politica com foco na colonização das consciências, tenha influenciado "videntes" das comunidades tribal, produzindo no mundo, o "fenômeno das manifestações de Maria" com hora marcada, onde mensagens podem estar sendo manipuladas nas mídias sociais em prol de sistema de governo, onde parece que utilizam o sentimento maternal para atingir as consciências com fins politico, onde "Maria" só falta falar para o povo o nome do candidato a governante que é para ser votado na próxima eleição.

Diante do contexto as problemáticas do passado estão presentes na modernidade com sérios prejuízos a curto e longo prazo para ás próximas gerações no que se refere ao processo da evangelização e salvação.

Em síntese a fé é um mistério que produz a semente da salvação e na força do ressuscitado a fé vem por escutar e escutar no silêncio a mensagem que vem Deus, para que possamos testemunhar até as últimas consequências na firme esperança que em breve seremos chamado para conhecer de perto a casa que Ele o Senhor Jesus foi preparar para que estejamos todos juntos em comunidade no reino definitivo com Nossa Senhora celebrando o mistério do reino de Deus.

Enquanto esse glorioso dia não chega o cristão de hoje, não pode ficar como um poste a beira do caminho a espera do gênio da lâmpada em busca de milagres e revelações, pois o ressuscitado já está em nosso meio, através da mesa da palavra e do pão. 

Dito isso, fiquemos nós do seguimento cristão com a mensagem do Evangelho.

Fiquemos com o mistério do rosário, com Maria da espiritualidade do silêncio a Mãe de Jesus e nossa Mãe que foi assunta ao céu, aquela que os evangelistas por estratégias pouco falaram a Mãe de Deus. Amém..

Salve Maria!

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

Foto da Internet