sábado, 30 de maio de 2020

NOSSA SENHORA: TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO, É POSSÍVEL QUE ESTEJA EM QUARENTENA, DE LUTO.


Em tempos de isolamento social, quarentena prolongada; a quem diga que o processo de evangelização está torto, e a covid 19, iluminou a Igreja, mostrando as dificuldades financeiras da humanidade, as carências afetivas, de nosso século, através das imagens do sagrado, saindo do altar, os padroeiros(as), para tomar banho de Sol, em carreata, pelas avenidas, periferias e deu origem a sentimentos, uma comoção interna, com foco em pentecostes, que foi levando o clero, em meio as pandemias, a sair do isolamento social e realizar as celebrações de fé, com os devotos da sociedade, que culmina com a Festa da Solenidade do Espírito Santo, na firme, esperança do milagre urgente, para o fim da pandemia..

Maio, mês de Nossa Senhora, mês de oração, reflexão, e diante do contexto, o mês mariano, já vai terminando e como compreender a Ação do Espirito Santo, iluminando as nossas consciências, e mostrando quando vai acabar,  ou acalmar as consequências das enfermidades da covid 19, em meio as crises, de irresponsabilidades que deu origem, as pandemias de nosso tempo, para que  possamos nos organizar, reestruturar, na luz que vem do coração de  Deus? 

Para nossas inquietações. na busca de respostas, Nossa Senhora, pode nos ajudar

Nossa Senhora, informou no último mês de Março 2020, a vidente: Mirjana Dragicevic, que não apareceria mais, conforme vinha acontecendo nas últimas décadas, em Medjugorje, e que só voltaria, uma vez por ano, no dia 18 de Março. 

O local das aparições a cerca de quatro décadas,  desde então, está deserto, vazio, sem a presença dos marianos.

Parece que até Maria, que é o primeiro templo da morada do Espírito Santo, se solidarizou, vivendo o luto, com o sofrimento das famílias do povo de Deus, e diante das pandemias, decidiu realizar uma quarentena prolongada, em prol da conversão da casa comum, em especial a eclésia, ficando em casa, no céu.

O fato é que se for real, verdadeiro, as aparições de Nossa Senhora, em Medjugorje, então de nosso ponto de vista, particular, nos parece, que o fim da pandemia, só acontecerá no próximo ano.

É amigo, é urgente, observar os sinais, e precisamos dar uma mão para o Espirito Santo, ele quer precisar de você, nós, pois uma andorinha sozinha, não faz o verão.

Irmãos de Fé, com a força do Espirito Santo, presente em nós, em nossa caminhada, na construção do reino de Deus, rumo ao reino definitivo, com a proteção e intercessão de Nossa Senhora, até o Pai, vai sorrir, para cada um de nós e no momento oportuno, vai conceder a sua graça, sua misericórdia, no seu tempo. 

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino
30-05-2020

segunda-feira, 25 de maio de 2020

O MOMENTO É EXTRAORDINÁRIO.


sexta-feira, 22 de maio de 2020

A HUMANIDADE TEM EM SUA ESSÊNCIA VOCAÇÕES PARA A PAZ.


O que foi comunicado está comunicado, e assim se cumpre o que foi escrito, para que as próximas gerações, receba de herança o conhecimento, do precioso tesouro  escondido no  campo, para que quando o administrador voltar, encontre a semente, com os frutos do tesouro da fé, que foi confiado, para a missão de fazer discípulos em prol de uma vinha saudável, que produza bons frutos.

Quanto a mim, procurei em síntese, com minhas limitações, escutar o chamado, e mesmo diante da perseguição, contribuir na transmissão da mensagem, que nos foi confiado, e acredito, estar cumprindo a minha parte, na vinha, e creio que mereço um descanso.

Portanto irmãos: nos dias de inquietações, tribulações, quem estiver no campo não volte pegar a túnica, pois, serão dias terríveis, nas cidades, campos e colinas.   

No mundo plural, reina múltiplos interesses das instituições e da sociedade, que, caminha de mãos dadas, com o gênio da lâmpada, em busca dos desejos, mágicas, milagres.

Na casa comum, é urgente encontrar o farol, que ajude a iluminar o campo, para que possamos retirar o cisco de nossos olhos, em trevas, para pode vencer as batalhas, das pandemias internas, externas, do vírus da crise ética, moral, da humanidade doente, que contribuiu com seu espírito mundano, no processo de um sistema político de governo, em um mundo eclético, desigual, onde no momento atual: uma voz grita em nossas consciências e somos chamados a  passar pela porta do testemunho no redil da purificação, para pertencer ao rebanho dos discípulos missionários de Jesus Cristo, e levar uma mensagem de esperança, respeitando as diferenças, no caminho da cruz.

A humanidade tem em sua essência, vocações para a paz, e na força do Evangelho e na oração, compreenderam, a missão da Igreja doméstica, na gratuidade, solidariedade, caridade, e estes, serão os protagonistas da construção do reino de Deus, rumo ao reino definitivo. 

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino
22-05-2020

domingo, 17 de maio de 2020

CNBB: ESTÁ PROTEGENDO O REBANHO DO GENOCÍDIO.

A catástrofe da saúde em nosso país, diante da COVID-19, só não é maior no momento, graças a coragem e orientações da CNBB: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que com muita responsabilidade, e respeito a vida, orientou as paróquias, a realizar as celebrações de fé, através das redes sociais, mantendo o povo de Deus, em especial os cristãos católicos, a ficar em casa, participando em família da santa missa, na Igreja doméstica.

Por um punhado de moedas, daqui para frente: Bispos, Padres, sofrerão uma forte pressão, política, e interna, para liberar as celebrações no templo, para a participação da sociedade.

Amigo: é possível que a ação do vento, esteja impulsionando o futuro, para que os sobreviventes da pandemia, na casa comum, esteja passando por uma purificação, em um novo tempo, uma nova Igreja, que culminara no protagonismo da Igreja doméstica, uma Igreja humilde, simples, não clerical, que vivera na gratuidade, os frutos do amor na solidariedade, com a verdadeira prática da caridade.

Rezemos para que nossos Bispos, tenham forças e com responsabilidade, sabedoria, proteja o rebanho da doença dos lobos.

Matéria Reflexão: Tarcísio Cirino
17-05-2020

sábado, 2 de maio de 2020

PARA ONDE IREMOS? VENCER A PANDEMIA?

Amigos: em tempos de pandemia, muito - se tem falado e publicado nas redes sociais, por parte de intelectuais e apoiadores do seguimento político, com objetivo de atingir a massa, para que cresça a pressão interna, na Igreja, - e, Bispos, Padres, abandone a quarentena prolongada, abandone a Missa na Igreja doméstica e volte de imediato para Jericó.

Nos dias atuais, fica evidente a hipocrisia do seguimento, quando se defende a vida, por interesses políticos, mais não se preocupa com a vida do idoso, do povo humilde e sofrido, o próximo, que a séculos estão sendo manipulados e escravizados, sobrevivendo de doações, por falta de políticas publicas. 

De nosso ponto de vista, particular, é dentro deste contexto, da conjuntura social, eclesial, e, geopolítica do mundo atual, que governos da casa comum, estão de joelhos diante do vírus da morte, que paralisou, a economia, levando todos a uma leitura, neste tempo de pandemia, a pensar que o mundo não será mais o mesmo, do contexto atual, no pós pandemia. Será? 

A tempos o que difere muitas comunidades de fé, das seitas é a eucaristia, e se não tivesse a eucaristia nestas comunidades, muitas delas seriam muito pior do que as seitas que estão esparramadas por ai. 

Dito isso, precisamos na força da oração, trabalhar, saindo da competitividade e no silêncio, fazer a experiência do encontro com a palavra de Deus, e na gratuidade viver o amor na solidariedade.   

Reflexão: no velho mundo, a sociedade motivava os jovens a passar a vida estudando para participar de um concurso público e receber as regalias de trabalhar para o governo.

Outros, deixava suas comunidades de fé, família, pegavam a sua mala e seguia para o seminário em busca de alcançar o sacerdócio, ser Padre.

No seminário, bons professores, doava a vida, trabalhando, para que o jovem seminarista, tivesse uma formação missionária de excelência, e pudesse transformar o mundo, realizando o projeto da salvação, na construção do reino de Deus, rumo ao reino definitivo.

Após a ordenação sacerdotal, parte dos presbíteros, corria pegar a velha mala, retirava a roupa de quando chegou no seminário, vestia, e voltava correndo para os braços do corporativismo.

Nas comunidades, o velho clericalismo, sobrevive no tempo, apoiando, políticos e vocacionados para que as famílias pioneiras, tivesse frutos no controle eclesial, e na sociedade. 

Príncipes, tinha um bom coração, mais seus assessores nas cúria, possui-a, um coração de pedra, - era preciso uma transfusão, para um coração, com espírito misericordioso.

Em síntese: conta-se uma historia - que no alto de uma colina, tinha um templo e certo dia estava acontecendo uma Missa, e começou uma guerra dentro da Igreja no mundo invisível entre anjos e as forças do mal.

De repente, em oração, um jovem entrou na Igreja, e viu o Padre, sendo influenciado e assessorado por demônios, na forma de um homem e uma mulher.

O bancos do templo, estavam lotados de pessoas, mais estavam, como que cegos, e, era cego, guiando cegos e não conseguiam visualizar a guerra dentro da Igreja.

Na guerra, um dos anjos, olhou para o jovem que tinha entrado no templo e pediu que os ajudassem a combater as forças do mal.

Dentro da Igreja, o jovem entrou em combate e foi para cima do demônio, que tinha forma de homem e mulher,  e venceu o homem, mais a mulher, rangendo os dentes e gritando blasfemas, fugiu para fora do templo e entrou no cemitério.

Os anjos continuaram a batalha dentro do templo, a Igreja, e o jovem, foi para fora, atrás da mulher e neste momento foi arrebatado, através de um portal e levado para o alto, e lá no lugar que chamamos de céu, estava acontecendo uma reunião com os santos em uma grande mesa.

Na mesa de reunião, os santos estavam cabisbaixo, e um deles, debruçado na mesa, olhou para o jovem e para a Igreja na terra e chorava por sua congregação. 

Através do portal o jovem voltando a terra, viu que um grande rio, tinha inundado a terra e sobrou só o templo e o cemitério no alto da colina, com as diversidades de peixes mortos, afogados,sobre as águas em volta do templo.

Visualizando o triste cenário, o jovem, viu e ouviu os gritos da mulher, que rangendo os dentes, prometeu voltar e destruir o templo a Igreja.

Naquele momento: Deus, falou com o jovem, para não ter medo, dizendo que era de sua vontade que aquele templo, se tornasse um sinal do santuário da vida, no mundo, dedicado a jovem batizada por São Pedro, e deu orientações, para não ter medo da perseguição e assim a Igreja venceria o mal. 

Fazendo uma leitura reflexiva da história, fico pensando;
uma andorinha sozinha não faz verão, mais faz o anúncio do outono, com o início da primavera. 

Deus quer depender de você, para vencermos a pandemia.

Fique em casa e rezemos pelas redes sociais, até que tenhamos a vacina contra o vírus que ataca o pulmão e leva o corpo humano, templo da morada de Deus a morte. 

Clique AQUI e visualize a 1° parte da reflexão. E agora para onde iremos? 

Matéria Reflexão: Tarcísio Cirino
02-05-2020