domingo, 24 de abril de 2022

NOSSA REFLEXÃO: "ELEIÇÕES E MANIPULAÇÃO RELIGIOSA".

No último dia 21/04/2022, recebemos uma Nota Pública, para divulgação com o titulo: "Eleições e Manipulação Religiosa" e mesmo estando de acordo com a nota, resolvi não publicar, mais senti a necessidade de uma reflexão que em síntese, começa hoje, conforme a baixo, que é como introdução e levará nos próximos capítulos a um profunda metanoia.

Como sabemos o cristianismo não nasce de uma filosofia, ideologia e sim de uma pessoa: Jesus Cristo e diante a guerra de narrativas, entre: negacionistas, tradicionalistas, puritanos, progressistas em tempos de Pós-Verdade, que vem levando o corpo a um estado de paralisia, onde o milagre da cura para o momento é Silêncio, para que possamos, escutar, refletir, discernir para depois com consciência critica, comunicar, pois é ali em nossa consciência que Deus habita e fala em nossas consciências.
Amigos, desde criança, lá nos tempos de nossos avós, já ouvíamos dizer: A coisa tá feia, é compadre, você viu? A Igreja ultimamente está lotada, isso é sinal que o povo está em crise, pois quando a economia ou governo não vai bem, começa as dificuldades em casa, na sociedade e o povo vai correndo para a Igreja em busca de milagres. 
Parece que as guerras ou as crises governamentais, atraia o povo para a Igreja e as lideranças eclesiais, sobreviviam também com a manipulação em prol dos benefícios milagreiros das crises da conjuntura social, e assim com a Igreja "Cheia" muitas lideranças foram se conformando com a situação e foram levando os fiéis devotos a construir templos, currais e não entraram em tempos de coronelismo nas raízes do testemunho da catequese da transmissão da FÉ.
Hoje é nítido nas mídias sociais a guerra de narrativas que culpa o Concilio Vaticano II, por toda lambança eclesial que visualizamos na conjuntura da Pós-Verdade e diante dos conflitos de interesses no campo e nas mídias sociais as comunidades foram adoecendo e a partir dai a Palavra: Interação é a "Chave", o milagre, para as perspectivas de novos horizontes, para uma nova aurora.  Pois em tempos onde grande parte dos conteúdos que circula nas mídias, falando mal do Papa Francisco ou CNBB, são produções  enviesadas ao projeto da construção do reino de Deus, com um único objetivo, que é eleitoral (Poder)  
O fato é que diante a conjuntura atual é preciso maturidade, pois é urgente um olhar a realidade tal como ela é, sem partidarismos, só assim, será possível reconstruir a Igreja e nosso Brasil, sem a manipulação religiosa e sim, através do testemunho da Fé.  
Nossa Reflexão e imagem: Tarcísio Cirino 

domingo, 10 de abril de 2022

SHALOM: VIDA PARTILHADA




Estamos vivenciando em meio ás pandemias, guerra com misseis da inveja, fruto do pecado que está levando Caim a matar o seu irmão que é hoje a humanidade através de nós cristãos, que estamos ás portas de fazermos memórias da Páscoa, renovando no ressuscitado a nossa FÉ.

Respiramos nas colônias os ventos do império, onde o Patriarca Cirilo, simboliza aquele que está a frente do Sinédrio, influenciando seus interesses com o governo de Putin (Pilatos) que lava as mãos, com sua guerra de narrativas, mortes e lucros, com interesses mundiais. 

Diante do contexto é possível que aconteça uma trégua para se comemorar o feriadão do comércio da Páscoa, onde os pobres cristãos já tão humilhados possam ir aos anfiteatro, visualizar os tempos do filho de Deus que na história da humanidade, quis ser nosso irmão, se fez pobre, entre os mais pobres e  marginalizados, entrando em silêncio no sinédrio, onde foi julgado para ser crucificado e morreu.

Em tempos onde no processo de evangelização, nossas preocupações eram com o êxodo dos católicos que fomentava o crescimento das denominações evangélicas e com respeito a esse crescimento, sofríamos as perdas, vivendo a cada dia a nossa conversão, com foco no sofrimento da cruz, testemunhando nas comunidades a nossa FÉ, em procissões, oração, jejum e caridade, para que fossemos parecidos com nosso irmão: Jesus Cristo.  

Hoje, na sombria modernidade da internet, voltamos a viver como que em tribos virtuais do sinédrio e fomos abandonando as procissões de FÉ, para fazer carreatas, motociatas em prol de interesses particulares ou necessidades de marketing das lideranças e com isso fomos deixando de estar próximos aos que mais sofrem nas periferias existenciais e fomos perdendo a identidade de cristãos católicos.

Parece que desde que Herodes reconstruiu o templo de Salomão, ás consciências vem sendo manipulado por grupos e parte dos sacerdotes que querem ser dependentes da politicagem do estado, e se esqueceram, qual é o sentido ou qual é objetivo da missão da Igreja na construção do reino de Deus?

Amigos com á ressureição de Jesus e sua ascensão tem inicio a nossa missão de cristãos e ai a importância de nos colocar em estado permanente de missão ou será que ficaremos presos em nossas realidades pessoais de carreiras, corporativismo e monopólios na comunicação das mídias sociais, esperando nas sacristias chegar o mês de outubro para fazer algumas novenas nas casas em tempos estratégicos de interesses nas eleições para caminhar de mãos dadas com o espírito do estado..

Se for assim, parece que a Pascoa não aconteceu e Caim matou a humanidade e a Igreja já não tem mais nada a dizer. No entanto se verdadeiramente o ressuscitado vive no templo de sua morada que é também, nós, então temos o que dizer e junto com Ele, Jesus, venceremos o sistema de injustiças sociais nesse mundo.

Shalom

Nossa Reflexão e imagem: Tarcísio Cirino

quinta-feira, 7 de abril de 2022

PRESIDENTE VEM AO PARANÁ CONTRIBUIR COM O TURISMO RELIGIOSO.

Em meados do mês de fevereiro 2022 o DER- PR: Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná, publicou licitação para construir em Bandeirantes na região norte uma nova passarela com acesso ao Santuário São Miguel Arcanjo, com orçamento previsto de 6,13 milhões.  

O DER-PR abriu essa semana, envelope com ás 2 melhores propostas da licitação para as melhorias da BR 369 na construção da passarela que vai dar acesso aos fiéis para o turismo religioso no Santuário São Miguel Arcanjo no Paraná.

As peregrinações em Bandeirantes já fazem parte do turismo religioso do Paraná, onde; o Santuário e a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, reúne, milhares de fiéis, chegando em momentos festivos a reunir mais de 30 mil devotos, segundo nos informou fontes do interior do Paraná.

O resultado da licitação com a proposta da empresa vencedora para a construção da passarela será publicado no diário oficial em breve.

Na última segunda feira á direção do Santuário São Miguel Arcanjo e do Resort Morros dos Anjos, informou que atendendo convite do Deputado Federal Diego Garcia está confirmado para o próximo sábado 09 a presença do Presidente Jair Bolsonaro, que vem em visita ao Paraná da cidade de Andirá na parte da manhã em motociata até o Santuário São Miguel Arcanjo e na sequência fara visita ás obras do Santuário.

O Presidente Bolsonaro estará acompanhado do Governador Carlos Roberto Massa Junior (Ratinho) seu Pai e outras diversas autoridades politicas, e possível participação do empresário da Havan,

Dom Antônio Braz, bispo da Diocese de Jacarezinho informou em nota oficial que a visita do Presidente Jair Bolsonaro ao Santuário São Miguel Arcanjo não é de responsabilidade da diocese e sim resultado de convites de pessoas em particular e reafirmando a isenção partidária da Igreja Católica que presa pelos princípios evangélicos da justiça, paz e do reinado social de Cristo e não faz nenhum tipo de escolha partidária, politica ou ideológica, conforme a integra da nota á baixo.



sexta-feira, 18 de março de 2022

IGREJA CORRE O RISCO DE PERDER O CORAÇÃO DO EVANGELHO.

É possível que o crescimento de protestantes, evangélicos, pentecostais , levou, padres conciliares a se preocupar com os fundamentos da fé, visualizando, o processo de conversão da conjuntura eclesial, que em passos estratégicos, sinalizou, a urgência da Pastoral da animação bíblica, evitando, entrar na linguagem devocional e mística que em tempos de nossos antepassados, contribuiu por séculos, na catequese da transmissão da FÉ. 

Em meio a Constituição Dogmática Dei Verbum o concílio parece que evitou a expressão "Sagrado Coração" pois ficou ausente dos documentos conciliares e do catecismo da Igreja Católica e assim a devoção foi perdendo o chão em muitas comunidades eclesiais. 

No pós concílio o ativismo religioso foi trabalhando o que tinha no momento e foi se utilizando dos movimentos marianos, apostolado da oração, etc, para promover agentes para o surgimento de novas Pastorais e com isso é possível que sem perceber, foram, inviabilizando o crescimento de movimentos eclesiais que tiveram origem antes do Concílio Vaticano II.

Um exemplo concreto de visualizar e compreender essa realidade e suas consequências, hoje, é um olhar para a última década e se não fosse a forte atuação e motivação do Papa Francisco no Apostolado da Oração com o marketing da Rede Mundial de Oração do Papa o (AO) que estava reduzido a um pequeno grupo de anciãos em poucas paróquias, poderia o apostolado antes da pandemia ter falecido.

É fato e podemos testemunhar que quando associações ou movimentos, envelheceram por falta de motivação e não se renovaram, "levaram" como que em um efeito dominó as pastorais para a UTI, pois essas pastorais por vezes só possuíam a "coordenação" para existir em uma reunião pastoral ou paroquial e seus agentes anciãos, em sua maioria, pertenciam aos movimentos eclesiais.

O saudoso movimento de capelinhas: foi um dos grandes movimentos de leigos da Igreja do Brasil, atuando em prol das vocações e seminários em suas necessidades materiais e espirituais, que de acordo com pesquisas publicadas em revista de circulação na Europa e na América, só na arquidiocese de Curitiba o movimento de capelinhas até 2017, arrecadava aproximadamente: US$ 500.000 dólares ou cerca de 1,5 milhão de reais, por ano, na época, conforme nos mostra a pesquisadora da PUC: Pontifícia Universidade Católica do Chile, que você pode clicar AQUI e visualizar a pesquisa na integra.  

De nossa parte nas últimas décadas, muitas vezes na cobertura de eventos, fazendo imagens de ordenação sacerdotal ou episcopal, por vezes, visualizei pela lente da câmera as lágrimas nos olhos das mensageiras(os) do Coração Imaculado de Maria que gastaram a vida, para manter seminários, seminaristas e na hora dos agradecimentos ou das fotos, só gostariam de ser lembrados, e por vezes, aquele que foi ordenado se lembrava de todos as vezes até dos políticos da comunidade e não se lembrava das pobres viúvas mensageiras(os) que tanto se dedicaram para que os seminários tivessem recursos materiais e espirituais para a formação e ordenação do Padre.

Em tempos de Campanha da Fraternidade 2022 que tem como tema: Fraternidade e educação eis ai, uma boa reflexão para que a Igreja não corra o risco de perder os frutos da figueira do Coração do Evangelho.

Matéria Reflexão: Tarcísio Cirino


domingo, 6 de março de 2022

GUERRA NA QUARESMA E A DERROTA DO DIABO.

Israel não era uma nação independente e a Judéia era província do Império Romano e Roma empunhava suas diretrizes(Leis), mais era tolerante com os países, conquistados, desde que na condição de colônia não se rebelasse, contra as "leis do Império Romano" e diante do contexto o Sinédrio de Jerusalém, funcionava como um sistema de representação, Jurídico, Político, Religioso.

O templo com sua imponente liturgia, tinha perdido o monopólio, e por interesses, religiosos políticos, conseguia unir; fariseus, saduceus, essênios, zelotes, Galileus, herodianos, publicanos, escribas, e outras seitas ou movimentos.
Os sacerdotes nomeados, segundo, a "velha lei", tinha autoridade diante do povo, mais as suas palavras, não tinha credibilidade.
A estrutura religiosa da conjuntura social do tempo de Jesus é muito organizada e grande parte de suas diretrizes é semelhante ao que conhecemos na conjuntura atual: "Teologia da Prosperidade."
É dentro desta conjuntura social, religiosa, dependente do império (estado) que aparece o último dos profetas, preparando o povo, através do batismo de conversão, para a chegada do messias.
Certo dia, enquanto o Batista, pregava o batismo, este, viu o missionário do Pai, caminhando ao encontro das águas do rio Jordão e João diante da multidão e observadores do Sinédrio, diz: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (o mal).
Jesus, entra no rio Jordão e vai até João, para também receber o batismo.
João Batista, não compreende atitude de Jesus, e diz: "Eu é quê devo ser batizado, por ti e tu vens a mim?
Jesus, fala; "Deixa agora, pois convém que assim cumpramos, toda a justiça".
Ao ministrar o batismo, o céu se abriu e o "Espírito, desceu sobre Jesus e uma voz do céu, diz: Tu és o filho amado, de ti, Eu bem me agrado".
No pós batismo, Jesus é conduzido pelo espirito ao deserto e o representante do sinédrio vai ao monte para apresentar sua força e seu projeto de poder, riquezas e tentar Jesus a fazer parte do corporativismo daquele mundo.
Amigos, naquele tempo o evangelista, não podia falar as claras, pois diante das forças do império, era muito perigoso  e corria se o risco dos catecúmenos não sobreviver e a boa noticia do reino de Deus, não atravessar os séculos e não chegar o evangelho ao nosso tempo e assim as tentações de Jesus foi atribuída a personificação do mal o diabo que de fato existe, é real.
Em nosso tempo, pregadores de vídeos remunerados na torre dos condomínios das redes sociais dizem que o diabo é mentiroso e não tinha e não tem poder.. Será? 
Eis ai uma boa reflexão para esse tempo de quaresma..
Jesus, ao escolher a sua equipe de trabalho, "Vem Segue Me", leva seus discípulos, para sua escola de formação para uma profunda reflexão, abrindo os olhos de cegos e quem dorme, para conhecer na prática, no deserto, a triste realidade da estrutura religiosa na conjuntura social, que vai culminar no projeto da salvação.
Nossa Reflexão: Nos próximos domingo do tempo de quaresma, vamos de forma pedagógica ajudando você a conhecer Jesus de Nazaré e sua missão. 

Matéria Reflexão: Tarcísio Cirino 

terça-feira, 15 de fevereiro de 2022

SERÁ QUE CURITIBA DESAPRENDEU O QUE É SER MISSIONÁRIA?

Vivemos em tempos onde o espirito clama através do Papa Francisco por uma Igreja em saída e que os padres não fiquem embarricados nas sacristias.

Dito isso, outra vez os ventos da casa grande, balança ás estruturas do pobre barco através das pequenas e grandes mídias sociais que em ano de eleição utilizaram de uma nota eclesial e desencadearam múltiplos interesses tendo como base dos fundamentos uma missa que foi celebrada por um padre idoso que podemos visualizar nas imagens da transmissão ao vivo na integra: https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg  do último dia 5 fevereiro 2022, ás 17horas em um local histórico de conhecidas manifestações e turismo religioso da capital do Paraná - Brasil.

Após os acontecimentos de grande divulgação outra parte do seguimento cristão organizaram novos eventos rezando em pé na praça pública, com produção de imagens para serem divulgados em vídeos remunerados nas redes sociais, contribuindo assim para o fermento da polarização com perseguições raciais, sociais, que causam sérios prejuízos para a comunidade de FÉ e isso já ultrapassou os limites do bom-senso ou da moral cristã e agora parece que só o Papa Francisco, para dar um basta em tudo isso, através de um posicionamento firme, para que a Igreja do amanhã não padeça das consequências raciais que vivemos na conjuntura do mundo atual.

Matéria Reflexão: Tarcísio Cirino

sábado, 5 de fevereiro de 2022

SABER ESCUTAR E DISCERNIR PARA QUE TODOS SEJAM UM!

Diante da ordem do Mestre: Ide Evangelizar: Jesus fez de todos batizados do seguimento cristão, MISSIONÁRIOS e a partir dai toda comunidade de fé é responsável pela evangelização, mais o que é evangelizar?

Evangelizar é transmitir uma mensagem, mais qual mensagem? A boa notícia do Amor do PAI o Amor do Eterno, através do nascimento, vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo, para que todos sejam um.

Nossa missão é evangelizar, transmitir a , no entanto é preciso nos conscientizar que não fomos batizados em nome das diversas denominações da cristandade e sim, recebemos o batismo: em nome do Pai e do Filho e do Espirito Santo.

Em tempos de sociedades secretas, grupos de afinidades de múltiplos interesses as caudas do mal na comunicação arrastou do céu, partes do seguimento cristão para o abismo. 

No chamado existe salvação, pois depois de dois milênios aconteceu em território sagrado o êxodo dos cristãos que em silêncio, saíram das catacumbas e voltaram como que em forma de movimento a se reunir nas casas, em uma espécie de alusão da volta as origens, para, à igreja primitiva do livro: Ato dos Apóstolos.

Esse fenômeno da volta dos cristãos para se reunir em grupos de famílias nas casas, começou antes da grande pandemia dos dias atuais, através daqueles que por diversos motivos se afastaram do rebanho e como ovelhas perdidas que á décadas, já não se reunia nos templos das catedrais, estes, fizeram de seu lar, uma casa de oração, um sacrário, onde dois, três ou mais se encontram com o ressuscitado e ali, sem clericalismo, vivenciam a experiência de momentos de oração, catequese, partilha e caridade em grupos de famílias.

Diante do contexto: funcionários do sagrado em orbita, ficaram perdidão no carreirismo em meio a pandemia dos dias atuais e como que mestres cegos em sua ação evangelizadora, com medo de perder benefícios ou privilégios, é possível que na ingenuidade sem perceber, proporcionaram os meios para o renascimento radical politico da inquisição do tradicionalismo.  

O século XII foi marcado pela insatisfação popular de onde surgiu movimentos que cometeram erros, questionando os esquemas dos concessionários do sagrado e assim para silenciar o espírito das consciências, nasceu a inquisição com o firme propósito de combater e silenciar o crescimento dos movimentos popular, através da manipulação das consciências e perseguição as "bruxas" em nome da "mascara das heresias", sendo naquele tempo, muitos, julgados e levados ao extermínio pela inquisição, com exceção de alguns sobreviventes a exemplo de nossos irmãos valdenses que sobreviveram a inquisição.     

Nos dias atuais muitos não sabem discernir a diferença estratégica de um movimento e de uma pastoral e a partir dai o Dragão está fazendo a pandemia ou melhor fazendo a festa, pois as diversidades de pastorais são fragmentos de igreja dividida.

Parece que a igreja da transmissão da FÉ sempre foi dependente dos movimentos eclesiais e nas últimas décadas o neopentecostalísmo deu origem a inquisição do tradicionalismo que estrategicamente foi manipulando as consciências e arrastando o seguimento cristão para morrer na praia.

Em tempos da nova inquisição, não é fácil evangelizar, mais quero dizer a você que é preciso ir até as últimas consequências e com um novo jeito de comunicar nas próximas publicações, vamos ajudar você a pensar o processo de evangelização, para que todos sejam um.

Nossa Reflexão e imagens do vídeo: Tarcísio Cirino

sábado, 22 de janeiro de 2022

A IGREJA DO AMANHÃ.

A separação igreja do estado, pode ter provocado interesses políticos que levou a realização de concursos público no pós - Concilio Vaticano II, proporcionando um novo jeito de funcionários em capelanias para ser presente nas instituições do estado e na sociedade.

Toda revolução intelectual, muda os rumos da humanidade para o bem ou para o mal e vai transformando a cultura das comunidades, através dos pilares da política, economia, religião e diante da falta de testemunho na conjuntura eclesial de nosso tempo o cristianismo já não impacta ou atrai a juventude e através da caridade os ramos do espiritismo de Alan Kardec é o que mais cresce em massa no tecido social em meio também as nanotecnologias, em tempos onde ideólogos frustrados estão mais preocupados em saber se você é de esquerda, direita ou centro e qual é a linha de sua teologia? 

Não sei de onde nasceu o sentimento ou a expressão de que a voz do povo é a voz de Deus, no entanto é possível que a humanidade por vezes foi levado a escolher o lado errado da história, porque suas consciências foram manipuladas desde o berço para a manutenção das velhas estruturas com as promessas de milagres ou benefícios de governos que se alimenta da ingenuidade daqueles que sofrem e morrem na esperança.

A partir dai o homem de nosso tempo preenche as suas lacunas na busca do culto ao corpo, procurando uma religião a seu gosto, buscando a felicidade no aplauso e desta forma, preenchem as suas carências afetivas de onde nasce em nosso tempo o grande mercado das seitas.

Com a força do batismo: Profeta que não leva as consciências a refletir a cultura sistêmica dos alicerces da grande pirâmide e suas consequências existenciais é um profeta alienante, imaturo, que germina uma fé insossa, pois faleceu e já não motiva a nossa geração: pensar, questionar e se comprometer com a Igreja hoje e amanhã na ação da construção do reino de Deus. 

Profeta é livre e dentro do contexto bíblico é um vidente, um mensageiro portador de uma mensagem dos sinais do tempo. 

"Essa estrutura vai acabar, pois tudo passa e só o amor do eterno permanece na Igreja do amanhã"

Nossa Reflexão e imagem: Tarcísio Cirino