sábado, 30 de março de 2024

NOSSA REFLEXÃO: Á RESURREIÇÃO DO FILHO DE DEUS.

 Depois da repercussão com diversas mensagens da publicação: Senhor Liberta nos da escravidão espiritual, senti com ajuda do Espirito Santo, a necessidade de aprofundar um pouco mais á reflexão e compartilhar com você.

Jesus ao abrir o livro e declarar que hoje se cumpriu ás escrituras, que acabais de ouvir, lideranças das sinagogas e do templo, que em outro momento disse: o que queres de nós Jesus Nazareno, vieste para a nossa destruição?

Diante do contexto, essas lideranças, rejeitaram o projeto do amor de Javé, e expulsaram o Senhor do seu meio, e assim o filho de Deus, passou á viver a margem das estruturas do templo, nas periferias em meio daqueles que mais sofrem as consequências sociais do governo daquele mundo.

A  cerca de 600 anos antes de Jesus, com a conquista de Nabucodonosor  no reino de Judá e da cidade de Jerusalém, que culminou com o cativeiro do povo de Deus, o profeta Jeremias, retira do templo a Arca da Aliança e esconde nas montanhas do Nebo, e assim a Arca do Testemunho que caminhou por séculos com o povo hebreu, desapareceu e nunca mais voltou ao templo, até que por volta de 96 d.C. o discípulo exilado de Jesus, João, na Ilha de Patmos, viu no céu a cidade de Deus, á nova Jerusalém e os santos, com o magnifico templo e lá estavam junto de Deus, no céu, á Arca da Aliança. 

Amigos com a expulsão do filho de Deus, através dos esquemas políticos de governo das lideranças do templo de Jerusalém e posterior condenação e crucificação do Nazareno, o véu do templo ao se rasgar, vai muito além das reflexões terrenas, pois simboliza também que o velho templo e seus sacerdotes foi destruído, naquele momento da morte de Jesus, através da ação de Javé.

Tudo está consumado e o filho de Deus, vai até a mansão dos mortos ("inferno") e liberta das mãos de Satanás, todos que morreram antes de Jesus na escravidão dos esquemas de governo do mundo e os liberta, para que voltem á caminhar, com os seus familiares por Jerusalém.   

Nas próximas publicações, vamos junto com o Espirito Santo, levar você a refletir a ressurreição do filho de Deus e a missão da Igreja.

Por vezes, recebemos mensagens deselegantes em nossa caixa de mensagens, e fico a pensar na atitude do apostolo Paulo, diante daquele que fazia oposição ao seu ministério, no entanto de nossa parte, rezamos por aqueles que nos perseguem. 

Desejamos a todos uma Feliz e Santa Páscoa! Shalom 


Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

quarta-feira, 20 de março de 2024

SENHOR: LIBERTA NOS DA ESCRAVIDÃO ESPIRITUAL

Antes de Javé, chamar Abraão, antes dos descendentes dos filhos do Pai Abraão, ser escravo no Egito, Jerusalém já existia, e Profetas gastaram a vida denunciando idolatria á Jerusalém, e não foram compreendidos em seu tempo e em nosso tempo.

No passado e em nosso tempo, muitos falam de Deus e vivem como que em uma espécie de idolatria á livro de auto ajuda, sem jamais ter feito uma experiência intima e sentido na alma o amor de Deus, e assim, se tornaram como que cegos, fundamentalistas, não compreendendo nas entrelinhas do livro sagrado á mensagem de amor da Palavra de Deus, que nos liberta, nos faz livres, filhos de um só Pai e irmãos de Jesus.

Depois que Moisés, libertou o povo de Deus das mãos do faraó do Egito, passando a vida e morrendo no deserto, ás gerações que entraram na terra prometida são os filhos do povo que saiu do Egito, que no transcorrer dos séculos, serão novamente escravos, e a partir dai, no cativeiro, em meio ás idolatrias, sabendo que também morrerão se conscientizam da necessidade de contar á história da ação de Deus, para que Javé seja conhecido e não esquecido, pelos filhos nas futuras gerações.

A bíblia não é um livro que caiu pronto do céu, foi escrito por católico e para católicos, que em parte, fundamenta á geneologia do filho de Deus, passando pelo rei Davi, e a partir dai, apresenta; um homem com o "coração segundo o coração de Deus", onde, ás gerações do passado e de nosso tempo, criaram um certo romantismo em torno de Davi, Israel, que diante do contexto, vem produzindo nas consciências á escravidão espiritual

Em síntese, depois que Davi se tornou Rei, tempos depois, invadiu a milenar cidade de Jerusalém e ali fez a matança dos Jabuceus, e após tomar a cidade, e, também por estratégias de questões politicas de governo, sente a necessidade de projetar e construir o Templo de Jerusalém para a Arca da Aliança, e ali reunir o povo das tribos do reino e assim, tempos depois o templo será construído pelo seu filho Salomão.

Quando, Alexandre o grande toma a Palestina e com a sua morte, seus generais desencadeia novas estratégias de guerra e conquistas e séculos depois, o Império Romano governa o mundo e por conveniências de mercado, faz alianças com Herodes que patrocina a reconstrução do templo de Jerusalém, sendo agora mais suntuoso dos que nos dias do filho do Rei Davi, Salomão.

É no meio dessa, conjuntura social e geopolítica que nasce o filho de Deus, que depois de adulto, no caminho da missão do reino de Deus.  Jesus olha para Jerusalém e chora.

Esse choro de Jesus, vai muito além daquelas reflexões romantizadas que visualizamos nos entretenimentos de TVs, comunidades, que por vezes nos leva a pensar que Jesus chora porque será rejeitado pelos sumo sacerdotes e morto pelas autoridades de governo do mundo, não, não, ás lágrimas de Jesus, vai muito além do que podemos imaginar; Jesus em suas entranhas, vê o tempo, os séculos, milênios e chora pelo comércio do templo e pelo povo que ali está, como que cegos, vivendo na escravidão espiritual e chora, pelos profetas que morreram denunciando a idolatria á Jerusalém.

Shalom!

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino 

sábado, 9 de março de 2024

FREI NILSO CIGNACHI OFM, FEZ Á SUA PÁSCOA Á CAMINHO DA IGREJA.


Em amor a missão ao atravessar os perigos da rodovia para chegar á Igreja, onde iria celebrar a em comunidade, o missionário e amigo Frei Nilso Antônio Cignachi de 72 anos, fez a sua Páscoa definitiva para junto do Pai, de frente á Capela: Nossa Senhora do Rocio na última sexta-feira 08/03/2024.

O saudoso amigo Frei Nilso Cignachi OFM estava com o confrade Frei Ismael Stangherlin de 66 anos, que foi socorrido e esta em estado grave, recebendo cuidados médicos no Hospital de Cascavel.

Frei Nilso OFM, realizou um belo trabalho missionário na arquidiocese de Curitiba, através do seu carisma na Paróquia São João Batista em Vila Sandra.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o automóvel VW gol em que estava o motorista Frei Nilso e o passageiro Frei Ismael, sofreu a fatalidade ao cruzar a rodovia que culminou com a colisão na lateral do automóvel  com um caminhão, causando o capotamento do veículo que saíu da pista na frente da Capela Nossa Senhora do Rocio, km 512 da BR-277 em Guaraniaçu, Paraná.

O motorista do caminhão 28 anos que colidiu com o veiculo, realizou teste de alcoolemia com resultado 0,00 mg/L, e o passageiro 16 anos não se feriram. 

A Prefeitura de Guaraniaçu, lamentou o acidente e a partir das 14horas desde sábado 09/03 a cidade de Guaraniaçu foi movimentada com o cortejo da população local, que acompanharam o corpo do Frei Nilso OFM no caminhão dos bombeiros, Defesa Civil, Policia militar até a Igreja Matriz: Nossa Senhora de Fátima, para o velório. 

Neste domingo 10/03, acontece ás 8:30horas da manhã á missa de corpo presente na Igreja Nossa Senhora de Fátima e em seguida a carreata para a Igreja São Francisco de Assis, até a cidade e diocese de Cascavel, para velório e na sequência o sepultamento no Cemitério da Saudade, na rua Gralha Azul n° 1264. 

Biografia: FREI NILSO ANTÔNIO CIGNACHI
Filho de Albino Sabino e Adelina Braganhol Cignachi. Nascido em Farroupilha, RS, no dia 09 de abril de 1951.

Em 15 de fevereiro de 1966, entrou no Seminário Nossa Senhora de Lourdes, Terceira Légua, (Caxias do Sul, RS).
Realizou os primeiros votos em 15 de fevereiro de 1977 na Igreja São Benedito em Caçapava - SP e, posteriormente, os votos perpétuos em 06 de dezembro de 1980, na Igreja Senhor do Bonfim, em Santo André, SP.

No dia 07 de maio de 1983 foi ordenado diácono na Igreja Senhor do Bonfim, Santo André, SP, por Dom Cláudio Hummes e, em 08 de dezembro de 1983, na Solenidade da Imaculada Conceição, foi ordenado sacerdote na igreja Senhor do Bonfim, Santo André, SP, novamente sob a imposição das mãos de Dom Claudio Hummes, Bispo de Santo André.

Licenciado em Filosofia e Bacharel em Teologia, trabalhou em muitas comunidades e atualmente estava; Guardião e Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Residente no Convento Nossa Senhora de Fátima, Guaraniaçu, PR  

Matéria: Tarcísio Cirino 

sábado, 2 de março de 2024

A IGREJA NÃO ESTÁ DIVIDIDA.

Cristo não está dividido e sua Igreja também não, o que existe em nosso tempo, é o "culto ao corpo," onde pessoas carentes de espiritualidade desde o berço, pensando estar fazendo o bem, estão influenciando ás consciências. 

No Brasil, um dos mais lindo trabalho que a Igreja realiza e pode ser exemplo para o mundo é a Campanha da Fraternidade, no entanto, á décadas o processo de evangelização vem  passando por provação e muita perseguição através de imaturos na Fé.

Vivemos em tempos onde os carismas, que se faz presente naqueles que Javé, chamou para a missão, estão acuados em meio ás perseguições.

Na última semana estive com família de nosso setor, região, que me diziam estar doando alqueires de terra para milagreiros salvar almas e fiquei a pensar no mistério de Deus.

Onde tem milagres está o povo, microfones, e grupos de interesses no balcão das almas.

Diante do contexto, Deus sabe tirar proveito de toda situação e a Igreja permanece fiel em meio aos novos martírios até o fim.


Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2024

VIDA DE SÃO JOSÉ, SEGUNDO, SUPOSTAS: "APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA".

Em tempos de pós-verdade, tudo está sendo abalado pela estratégia midiática das entidades que de um jeito envolvente, vem manipulando ás consciências, e arrastando parte do clero e do povo de Deus ao erro, com promessas de curas, milagres, prosperidade, através de esquemas de correntes neopentecostais, que atrai as massas a uma espécie de "catequese", que pode fortalecer cisma, colocando o povo contra o Papa Francisco, contra a Bíblia da CNBB, e estes, de forma estratégica, divulgam narrativas de supostas aparições de Nossa Senhora, que está mudando tudo aquilo que os apóstolos pregaram e viveram, desde a Igreja primitiva, testemunhando até o martírio, que o filho de Deus, nasceu, morreu e ressuscitou, conforme a nossa Profissão de FÉ.

O velho diabo é teólogo e pode estar usando das supostas "aparições de Maria", para divulgar através das mídias o seu propósito..

A história que vamos descrever a baixo, não é um dos 180 evangelhos apócrifos e nem série de TV, são parte da catequese das supostas aparições de Nossa Senhora no Brasil, que vem alimentando ás almas nas redes sociais, enquanto o Pastor dorme.

Noa da tribo de Fanuel é irmã da profetiza Ana que estava no templo com o profeta Simeão, e foi Noa que avisada por anjo, acolheu José e Maria em Belém para o menino Jesus nascer.

Segundo a suposta "Nossa Senhora", em suas aparições, José desde criança tinha um dom especial, como que de um engenheiro de construções e assim era contratado por famílias abastadas para construir casas e ai José ao ser contratado, pensava e desenhava o projeto da casa e passava para o seu sócio construtor de nome Lameque, para fazer a construção e quando a casa estava pronta, José fazia a porta, janela e os móveis da casa. 

No percurso da viagem a caminho da casa de Isabel e Zacarias, José foi junto e pararam para descansar, quando avistaram um casal que vinha pelo caminho conversando e Maria, percebeu que existia entre o casal, uma discussão, e quando o casal chegou próximo de José e Maria, que estavam descansando na sombra de uma arvore, Gibar reconheceu José, e enquanto Raquel uma mulher de muitas virtudes sentou ao Lado de Maria para conversar, José se afastou e foi com Gibar conversar, sobre a casa de três quartos que tinha sido projetado por José e ai descobriu que o motivo da discussão no caminho era porque Raquel não engravidava de um filho homem e a casa era muito grande para o casal, e diante á situação Gibar resolveu deixar Raquel e ai José pede a Gibar que coloque toda a sua confiança no Deus todo Poderoso.    

Quando o casal se despediu de José e Maria, e saíram da sombra da árvore, José Caminhou alguns metros, parou olhou para trás e chamou o amigo sem paciência Gibar e disse: Raquel terá três filhos que será a alegria de sua casa e os quartos vazios serão ocupados e a felicidade será constante em seu lar, confia no Deus todo poderoso, pois hoje, Ele veio ao seu encontro e Gibar acreditou.

Raquel teve três filhos sendo dois filhos gêmeos, Natanael e Araon e uma filha com o nome de Atália.

A casa onde Jesus reuniu os discípulos para á última ceia, pertencia a um homem de nome Calebe e foi projetada por José e construída por Lameque e todos os moveis foram feitos por José.

Calebe tinha um filho chamado Natã e quando Jesus ainda criança foi ao templo e discursava com os doutores da lei, Natã estava com a sua mãe no templo e Natã ficou afastado dos doutores, ouvindo a conversa dos mestres da lei com Jesus. 

O sócio de José, o construtor Lameque era rico e tinha uma filha paralitica e José aconselhou a ir ao encontro de Jesus e levar a filha e deu a dica em dia de sábado de onde Jesus estava e assim Lameque pegou um barco e foi ao encontro de Jesus.

Naquele dia estava acontecendo uma discussão dos fariseus com Jesus no templo e todos conheciam o construtor de suas casas e derrepente Lameque chega com a sua comitiva, esposa, filha e servos e Jesus ao visualizar a filha paralitica, realiza a cura e muitos passam acreditar que Jesus é o filho de Deus, e outros saíram furiosos, 

Nesse dia da cura da filha paralitica no templo, Calebe estava presente e foi tomado de grande emoção, e quando Jesus e Maria estava saindo do templo, Calebe foi até Jesus e o convida para ir passar o dia em sua casa e Jesus tira Calebe e chama a parte e diz: Entrarei em sua  casa em um dia que jamais será esquecido pelos homens.

Calebe pergunta mais quando Senhor tu irás a minha casa, nos visitar? E Jesus fala: no dia que sua esposa Jane afirmar ter visto um grande clarão, uma luz no andar superior de sua casa, nesse dia enviarei dois dos meus discípulos e eles chegaram com Malachai e em seguida chegara minha Mãe(Maria) acompanhada de outras mulheres e ai os olhos de Jane brilharam e escorreu lagrimas.  

Tempos depois, aconteceu como Jesus falou e a partir dai, Maria e as mulheres preparam a casa para acolher Jesus e seus discípulos para a última ceia.

A refeição aconteceu no andar de cima da casa projetada por José e as santas mulheres ficaram na parte de baixo e Maria ficou na escada e escutou tudo que aconteceu e quando Judas saiu da mesa, correndo pela escada, Maria segurou Judas pelo braço, e Judas entendeu Maria, e não quis conversa e foi..

José de Arimatéia tinha uma filha, que se chamava Samantra e essa moça conheceu o trabalho social de José, ensinando a sua profissão aos jovens do Egito, e admirada com a Sagrada família, trabalhava com a juventude a boa noticia de Jesus. 

Pilatos tinha um filho que era paralitico e Samantra era sua amiga, e Samantra vai convencer o pai: José de Arimatéia a ajudar Jesus.

A esposa de Pilatos teve uma visão e pensou ser um sonho, e atormentada pediu a Pilatos a não se meter com aquele justo, chamado Jesus, pois viu todo o sofrimento do processo de crucificação, e no momento em que Jesus morre, acontece o terremoto, e ela vê parte de sua casa desabando e caindo sobre o quarto do filho Adiel que é paralítico e vê o seu filho sair correndo em meio ao quarto desabando pelo terremoto.

No momento em que Jesus morre na Cruz, acontece o terremoto conforme a visão da esposa de Pilatos, que sai desesperada, correndo para salvar o filho Adiel e o encontra andando e curado.

Pilatos ao tomar conhecimento dos fatos se arrepende amargamente da crucificação e muda de vida com a sua conversão e a partir dai perdeu a carreira e tudo o que possuía e se salvou.

Samantra a filha de José de Arimatéia, casa com Adiel e se torna evangelizadores.

Matéria: Tarcísio Cirino   

sábado, 10 de fevereiro de 2024

LEONARDO ULBRICH CM É ORDENADO PADRE COM BENÇÃO DO PAPA FRANCISCO

A Congregação da Missão, foi agraciada na cidade de Mafra em Santa Catarina, com um novo Padre vicentino, neste sábado 10 Fevereiro, na Paróquia São José, com a Ordenação Presbiteral do diácono Leonardo Ulbrich CM, que aconteceu ás 15:00horas, através da imposição das mãos do Bispo local da diocese de Joinvile, Dom Francisco Carlos Bach.

Dom Francisco, durante a sua homilia, levou o novo Presbítero da Congregação da Missão á refletir que o nome de Deus é Misericórdia, e agora é preciso ser Padre e não mercenário e apresentou ás características de um bom Padre, ser: Pastor, discípulo, missionário e misericordioso a exemplo de São Vicente de Paulo que soube acolher e alimentar os pobres, sendo na misericórdia, semelhante ao rosto de Jesus.

Pe.Simão Valenga, Provincial da Congregação da Missão, Provincia do Sul, parabenizou o belo trabalho da animação vocacional que ao longo do tempo, produziu bons frutos e agradeceu toda comunidade vicentina.

Ivonete em nome da Paróquia São José, lembrou que o Padre Leonardo é a décima vocação da presença vicentina em terras da animação vocacional em Mafra e presenteou o novo Padre e o Bispo Dom Francisco Bach.

Pe.Eliezer fez a leitura do Papa Francisco, abençoando o sacerdócio do novo Padre da Congregação da Missão: Pe.Leonardo Ulbrich CM e o novo Presbítero Leonardo, emocionado, agradeceu a todos, em especial á Dom Francisco Bach, pela ordenação e informou que guardara á reflexão da ordenação, pelo resto de sua vida e agradeceu a presença de todos os Padres co-irmãos  e demais ramos vicentinos e demais padres, e, agradeceu sua mãe e lembrou seu Pai já falecido e demais familiares, agradecendo a todas comunidades por onde andou, estudou e trabalhou e que vieram prestigiar a sua ordenação e de modo particular á Paroquia de Santa Cândida onde estudou no seminário vicentino e agora vai trabalhar como Padre, e desenvolver a sua missão junto aos pobres e caminhando até a Imagem de Nossa Senhora das Graças, fez a oração de Consagração do seu sacerdócio.

Matéria: Tarciso Cirino 

sábado, 3 de fevereiro de 2024

ALISSON MEDEIROS AGORA É PADRE VICENTINO.

Na cidade e diocese de Foz do Iguaçu, Paróquia São Francisco de Assis, pela imposição das mãos de Dom Sergio de Deus, aconteceu neste sábado 03 fevereiro a Ordenação Presbiteral do diácono Alisson Bruno Felipe Medeiros, que atualmente trabalha na animação vocacional da Congregação da Missão, Província do Sul.

Dom Sergio, durante a reflexão, lembrou a importância do vocacionado, não terceirizar a outros aquilo que é de sua responsabilidade.

O visitador Provincial Pe.Simão Valenga CM, lembrou que a cerca de 75 anos atrás um Bispo que foi expulso da China, Dom Inácio veio para Curitiba e aqui no Paraná, chegou a Foz de Iguaçu que era nos anos 50 uma grande prelazia, que pegava as cidades de Toledo, Cascavel, Campo Mourão, Laranjeiras e na cidade de Palmas existia outra grande prelazia com o Frei Agostinho dos capuchinhos e aquele Bispo, Dom Inácio, no ardor missionário e no carisma de São Vicente de Paulo, ajudou a formar a diocese de Toledo, Campo de Mourão e depois foi criado a diocese de Foz do Iguaçu, Cascavel, e dentro desse ardor evangelizador, vieram as irmãs vicentinas filhas da caridade que com a sua missão, fundaram colégios e as creches e ai, aparece a história da ordenação Presbiteral de hoje; pois os Pais do baby a criança chamado: Alisson, os pais precisavam trabalhar e deixaram na creche aos cuidados das irmãs filhas da Caridade e assim Deus usou desta história, dessa situação para fazer o chamado do Alisson, para ser um Padre Vicentino.   

A Missa da Ordenação Presbiteral, contou com a presença de Padres da Província do Sul, Frei e sacerdotes amigos, irmãs filhas da caridade e diversos ramos da família vicentina e por último, Pe.Alisson Medeiros, agradeceu a Dom Sergio, familiares e a todos amigos organizadores, que trabalharam para acontecer a sua ordenação na Paróquia São Francisco de Assis, diocese de Foz do Iguaçu.

 Matéria: Tarcísio Cirino

quarta-feira, 3 de janeiro de 2024

SATANÁS FOI ABALADO E COMO RAIO ATINGIU O TEMPLO.

 

Nos últimos (7) sete anos, quer seja nas reflexões da missa na casa Santa Marta ou no ângelus e audiências no vaticano, o Papa Francisco vem alertando a Igreja, a não dialogar com o diabo, jamais, pois o diabo é astuto, sedutor, atraente, muito educado e mesmo sendo um derrotado, é especialista, teólogo e conhece as artimanhas de manipular as consciências, enganar, e pode arrastar você para o seu meio, através do pecado da corrupção.

O tumultuado ano de 2023 terminou e começou um novo ano, com parte do seguimento, fazendo uma espécie de terrorismo mental, que culmina em guerra, contra o processo de evangelização da Igreja em saída do Papa Francisco, alegando esses, que até "deus" se manifestou, retirando com raio as chaves das mãos da estátua de São Pedro em Buenos Aires, Argentina, bem no dia do aniversário de Francisco.  

Dito isso, em síntese, é evidente e não resta dúvida que através da catequese do Papa Francisco o reino de satanás foi abalado e parece que existe um conluio por uma parte da comunicação maligna no meio eclesial, que busca seduzir a todos, para arrasta-los a esse meio, em tempos onde até "videntes" com estratégias de aparições de Nossa Senhora, com  dia e hora marcada, publicam mensagens apocalípticas, para manipular ás consciências, alegando que as tais mensagens é de Nossa Senhora e que se você não se converter a estes grupos cismáticos de cunho politico, "deus" vai enviar castigos.

Amigos diante a essa conjuntura, fiquemos nós do seguimento cristão católico, com o Papa Francisco e seu sucessor e com os passos no caminho da lectio divina no contexto do evangelista Lucas 10:18-21. Eu vi Satanás, como um raio, cair do céu.

Nossa Reflexão: Tarcísio Cirino